Companhia portuguesa adapta clássico

Roque Silva
7 de Julho, 2015

Fotografia: João Miguel

A companhia portuguesa de teatro JGM estreia no sábado às 19h00 no Centro de Animação Artística (ANIM’ART) no Cazenga, em Luanda, a peça “Quem Me Dera Ser Onda”, uma adaptação do romance homónimo de Manuel Rui Monteiro.

A peça é interpretada Sara Ribeiro, que conta em palco a história, editada em livro em 1982, sobre uma família que vive num edifício onde é proibido ter animais.
A representação insere-se na programação do 10º Festival de Teatro do Cazenga (FESTECA), que se entre os dias 10 a 19.
O objectivo da JGM é homenagear o escritor e a apresentação da peça é feita no âmbito de uma parceira com a associação angolana Globo Dikulu, para a montagem conjunta de espectáculos e formação de actores angolanos, portugueses, moçambicanos e brasileiros.
O JGM, disse o director do FESTECA, Orlando Domingos, escolheu a história entre os 11 clássicos da literatura angolana.
O colectivo JGM foi fundado em 2003 por João Garcia Miguel, director artístico, encenador, actor e artista plástico associado ao Actor’s Center de Roma e do Espaço do Tempo. O grupo aposta num reportório contemporâneo e numa forte componente performativa e plástica, o que lhe permitiu aumentar o número de parcerias criativas e co-produções. O seu trabalho artístico, apresentado com frequência, em festivais na Alemanha, Espanha, França, Inglaterra, Noruega, País de Gales e Senegal, é caracterizado pela dimensão performativa, utilização de aspectos biográficos e reinterpretação de textos clássicos de autores como Brecht, Cervantes, Chekov, Jean Genet, Peter Handke, Fernando Pessoa, Shakespeare, Strindberg, Andy Warhol e Virgínia Wolf. A companhia foi distinguida em 2008 em Barcelona com o prémio Foment dels Artes i Disseny pela encenação de “Burgher King Lear”, e em 2005 com o  melhor espectáculo do ano, pela peça de teatro “Luz Interior”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA