Dramas são a preferência da semana

Mário Cohen |
24 de Julho, 2015

Fotografia: Paulino Damião

O drama sobre o antigo maior mercado de África, Roque Santeiro, volta a ser exibido domingo, em duas sessões, uma às 19h00 e outra às 20h00, na Liga Africana, em Luanda, pelo Twana Teatro, como uma forma de mostrar a força e a determinação das pessoas em vencerem na vida.

O espectáculo, “O Roque - Romance de um Mercado”, adaptado do livro homónimo de Hendrick Vaal Neto, conta, através de várias histórias, as aventuras e desgraças de muitas pessoas que faziam compras no antigo mercado, a partir do ponto de vista dos vendedores e dos clientes.
Para o encenador do grupo, o espectáculo é também uma forma de mostrar aos jovens a importância da determinação. “É preciso que o passado seja usado como uma referência para os jovens seguirem e, por isso, estamos a explorar o máximo possível a peça”, disse Victor Sampaio.
A peça, acrescenta, é também uma oportunidade de mostrar e elevar a grandiosidade do país, através de um mercado que foi motivo de entrevistas de órgãos de informação de vários países, devido à coragem e ousadia dos seus vendedores para vencer na vida, principalmente num período difícil, devido à guerra.
“Hoje, com o advento da Paz, acredito que os jovens devem buscar inspiração em momentos como aquele, que nos levaram a pensar para o fazer novamente e ajudar a recriar um país melhor, assente em princípios que nos distinguem dos outros povos pelas peculiaridades”, destacou.
Fundado a 28 de Fevereiro de 2002, por um grupo de jovens do distrito do Sambizanga, o Twana Teatro teve a sua primeira aparição em Dezembro de 2002, com a exibição da peça “A união faz a força”.
Depois o grupo participou em diversos espectáculos e concursos, ao ponto de ter obtido o primeiro lugar no Festival de Teatro do Sambizanga, em 2010, com “Luanda a Cidade do Diabo”. Os festivais aos quais foi convidado deram ao grupo experiência e permitiu-lhe ganhar mais público. O espectáculo “O Roque - Romance de um Mercado” foi estreado em 2009, na Liga Africana e já foi também apresentado no Cine Sporting, no Sumbe.

“O Contador de Serenata”

“O Contador de Serenata” é o título do espectáculo de teatro que o grupo Conjuntura D’Artes preparou para apresentar, também no domingo, às 19h00, mas no Colégio Leovany, na Mabor, município do Cazenga, em Luanda.
O encenador do grupo disse ontem ao Jornal de Angola que a peça é um drama sobre a jovem Carla, salva de se afogar por um artista de rua, um contador de serenatas. “É uma forma de mostrar aos jovens que os artistas também podem ter um lugar de destaque na sociedade e no desenvolvimento de qualquer comunidade”, disse Cláudio Luís.
A classe artística actualmente ainda é menosprezada por muitas pessoas, a ponto de muitos jovens chegarem a ser menosprezados pelas suas parceiras por viverem ainda da arte. “Os artistas ainda são marginalizados. Muitos acreditam que são apenas pessoas que querem exibir-se e menosprezam o seu papel educador e a sua importância para a própria sociedade. Este espectáculo vai ajudar a mostrar uma nova perspectiva”, explicou o responsável.
O grupo Conjuntura D’Artes já apresentou espectáculos em várias províncias do país com destaque para as do Bengo, Benguela e Uíge. Entre as suas peças de referência despontam, entre outras, “Amor e Ódio”, “Dois Corações e uma História”, “Cheque em Branco”, “A Morte do Velho Nzuzi”, “Dois Homens e um Destino” e “O Mulumbeiro e o Mijão”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA