Enigma leva teatro nacional ao Brasil

Manuel Albano|
19 de Agosto, 2014

Fotografia: Cedida pelo Grupo

O encenador do Enigma Teatro, Tony Frampenio, disse ontem, em Luanda, que o grupo está preparado para representar o país na sexta edição do Festival Internacional de Teatro de Língua Portuguesa (FESTLIP), a decorrer de 27 de Agosto a 5 de Setembro, no Rio de Janeiro.

Tony Frampenio explicou ao Jornal de Angola que o grupo fez uma temporada de espectáculos de 8 de Março a 8 de Agosto, com a peça “Sujeito e Azarada”, que também vai ser exibida no FESTLIP, para dar rotina e prática aos actores e ajudar a melhorar o seu posicionamento em palco, a dicção e dramatização.
O encenador realçou que o dinheiro feito com a venda de bilhetes durante os espectáculos serviu para comprar as cinco passagens do grupo. “Contámos com a ajuda do Ministério da Cultura, que ao longo dos espectáculos, realizados na Liga Africana, subvencionou a sala, o que permitiu juntar o dinheiro”, explicou.
O responsável agradeceu, ainda, o apoio da Transportadora Aérea Angolana (TAAG), que reduziu a tarifa dos bilhetes de passagem, assim como o apoio do grupo Horizonte Njinga Mbande, na produção dos espectáculos e preparação do Enigma.
A viagem do grupo está marcada para dia 26, um dia antes da abertura do festival. “Queremos ser profissionais de teatro e uma das formas de ajudar o grupo a ter o seu espaço é participar em festivais internacionais. Vamos deixar uma boa imagem do teatro que se faz em Angola. Falámos com os grupos que já participaram nas edições anteriores para termos mais confiança”, disse.
Uma das formas de promover o intercâmbio do grupo, adiantou, vai ser apresentar à organização do FESTLIP todas as peças do Enigma em DVD. “A apresentação dos espectáculos em vídeos aos participantes do festival vai dar uma ideia da evolução dos actores e do nível de organização do grupo”, contou.
“Sujeito e Azarada”, destacou Tony Frampenio, é um espectáculo com responsabilidade social, feito para moldar a consciência dos jovens sobre a importância de uma família. “É preciso incutir na juventude valores que os levem a defender a angolanidade e os ensinem a viver melhor na nova sociedade moderna angolana”, disse o responsável.
O grupo Enigma Teatro surgiu da fusão de Os Makotes e Comba Meneck em 1998.
O outro grupo que vai representar o país no FESTLIP é o Núcleo de Artes Pitabel, com a peça “O Preço do Fato”, um espectáculo que narra a história de Cristina, uma jovem de 20 anos, que nasceu numa pequena povoação no norte de Angola, onde as tradições e os costumes são muito respeitados. O Pitabel foi fundado em 2001, em Luanda, e é formado por 15 actores.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA