Enoque Caracol recebe distinção

Roque Silva |
6 de Julho, 2016

Fotografia: Media Filmes

Homenagens a actores, directores e grupos de teatro marcam sexta-feira, às 17h00, no Centro de Animação Artística (ANIM’ART), em Luanda, a abertura da 11ª edição do Festival Internacional de Teatro do Cazenga (FESTECA), a realizar-se até ao próximo dia 17.

A organização homenageia com diplomas de mérito, o actor David “Enoque” Caracol, melhor actor no Festival de Cinema de Las Palmas, em Espanha, pela interpretação no filme “Posto avançado do progresso”, também participante no longa-metragem “Cartas de guerra”, de Ivo Ferreira, e o grupo Ombaka, da província de Benguela, pelo contributo prestado ao teatro angolano.
O reconhecimento estende-se às actrizes Anacleta Pereira, do Elinga, e Conceição Diamante, do Julu, e a Africano Kangombe, director do colectivo Oásis (prémio nacional de Cultura e Artes, edição 2015), precursores da arte de representar em Angola. A companhia Ombaka encerra a actividade de sexta-feira com a apresentação do espectáculo  de teatro “O elevador”.
A organização confirmou, ontem, ao Jornal de Angola, que está confirmada, nesta edição do festival, a participação de 18 companhias nacionais e estrangeiras, com a realização de dois espectáculos por dia (às 18h00 e às 20h30).
O destaque recai para a actriz e professora de música italo-brasileira Tati Fagoti, em representação do grupo The Homeless, a alemã Ann Klatt, directora do colectivo Figurentheater, e os conjuntos Hubert de Blanck (Cuba) e Makwerhu (Moçambique).
Tati Fagoti traz a Luanda um teatro musical, mas a falta de instrumentos no país pode inviabilizar a apresentação do espectáculo.
O director do festival, Orlando Domingos, disse que a produção está a negociar o empréstimo de um piano com Instituto Superior de Artes (ISARTES), de forma a garantir  a representação da actriz que confirmou a sua presença.
Ann Klat participa em intercâmbios com os seus homólogos angolanos e o representante de Cuba dá formação no domínio do teatro.
A lista definitiva inscreve espectáculos do Julu, Elinga, Etu Lene, Horizonte Njinga Mbande, Njila, Twana, Projecto Resgarte, Nguindo Zetu, Kussa Mavu, Tic Tac e Nova Cena, de Luanda, Omuenhu (Namibe) e Nova Lua (Cuanza Sul).
 O director do FESTECA disse que, além dos espectáculos de teatro, o Centro de Animação Artística (ANIM’ART) alberga oficinas de teatro, homenagens e encontros entre os responsáveis de cada um dos grupos participantes.

Oficinas

O FESTECA promove oficinas, todos os dias, e conferências, aos sábados, ministradas por especialistas estrangeiros.  Tati Fagoti disserta sobre “Considerações sobre o ensino das artes no mundo” e Ernesto Langa, director do grupo Makwerhu, “O intercâmbio teatral entre os jovens africanos - Angola e Moçambique.”

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA