Grupo de teatro Mukange estreia uma peça no Elinga

Roque Silva|
31 de Agosto, 2014

Fotografia: Cedida pelo Grupo

O grupo Mukange estreia em 18 de Setembro, no Elinga Teatro, em Luanda, a peça “Uma Árvore”, de Nuno Milagre, no âmbito do Festival Nacional de Cultura (FENACULT).

A peça, disse a produtora executiva do grupo, é uma forma descontraída de contestar a demolição e o desaparecimento de espaços com importância histórica.
Cristiana Gaspar disse que “a peça fala de maneira divertida da conservação de valores e da importância das raízes”, especialmente do espaço onde funciona o Elinga Teatro.
A peça, sublinhou, não é uma campanha política contra a demolição do Elinga Teatro, mas pretende reforçar a posição dos elementos do projecto sobre a importância que deviam merecer alguns espaços por terem sido classificados património histórico e cultural. A peça desenrola-se em torno da discussão do abate de uma árvore mitológica e cheia de mistérios. Num lugar remoto do continente africano, o traçado de uma auto-estrada implica o abate de uma árvore centenária. Mutu, jovem que reside perto dela recebe visitas de várias pessoas que lhe explicam as razões da obra.
O jovem utiliza todos os argumentos para justificar a preservação da árvore e cria inclusivamente “supostos valores simbólicos” que mistura com relatos históricos orais de tradições.
A produtora executiva garantiu que a história não é moralista e que as personagens até se divertem com ela. A peça, cuja produção é de Orlando Sérgio, encenação, coordenação e direcção de Miguel Hurst, é interpretada por Virgílio António, Helena Moreno, Yuri de Sousa e Sílvio Ferreira do Nascimento. 
A cenografia é da responsabilidade de Binelde Hyrcan e o próprio Orlando Sérvio também participa como actor.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA