Cultura

Imprudência no vestir das mulheres no teatro

Roque Silva |

Cultivar os valores morais e cívicos transmitidos pelos encarregados de educação é o que se pode apreender na peça “A saia dela”, que é exibida hoje e amanhã, às 19h00, no Centro Cultural Fiesta, na Avenida 21 de Janeiro, em Luanda, pelo colectivo de artes 1.º de Maio.

Actores do colectivo de artes exibem a peça “ A saia dela”
Fotografia: Eduardo Pedro | Edições Novembro

A peça é uma chamada de atenção às mulheres pela forma como se vestem e se apresentam fora da sua zona de conforto, nas ruas e locais de trabalho, sem proteger expondo a sua intimidade.
No género comédia, o espectáculo pedagógico foi criado para levar às mulheres a reflectirem na forma como devem agir e exigir que as pessoas respeitem o seu próprio corpo.
O espectáculo aborda ainda questões ligadas aos princípios familiares, que se vão degradando muito pela má interpretação, falta de interesse, de fragilidade intelectual e de diálogo familiar.
A peça retrata, em 40 minutos, a história de uma estudante de Direito, cuja beleza e a forma como se veste deixa a vizinhança boquiaberta, sobretudo os rapazes. A atraente Nareth, de 27 anos, filha única opta por roupas curtas que deixam as suas partes íntimas à mostra, o que vem trazer conflitos entre os vizinhos e as suas companheiras.
Os calções, saias e blusas curtas fazem despertar a atenção dos rapazes que residem no seu bairro, disse ao Jornal de Angola o autor e encenador do espectáculo. “Nareth veste-se mal, mas de forma despropositada”, disse Ângelo Cristóvão.
Criado em 2009, o Colectivo de Artes 1.º de Maio tem no seu curriculum a participação no Intercâmbio Internacional de Teatro de Santa Teresa (INTEST), realizado de 10 a 17 de Novembro do ano passado, no Rio de Janeiro.
O conjunto, além do seu objecto social (criação e apresentação de peças de teatro), produz e realiza anualmente o Festival de Teatro (Festi 5.º Ano), com participação de grupos de várias províncias.

Tempo

Multimédia