Jovens Renovadores contra o preconceito

Roque Silva|
16 de Agosto, 2014

O colectivo de artes Jovens Renovadores estreia hoje, às 19h00, no auditório do Colégio Odeth Tavares, no bairro São Paulo, em Luanda, o espectáculo “Preconceito não”, um drama que aborda a homossexualidade.

A peça, a ser exibida no âmbito da segunda Maratona de Teatro de Beneficência, tem 45 minutos e é uma advertência, e ao mesmo tempo uma crítica, á sociedade angolana por, de forma generalizada, descriminar todos os indivíduos que mantêm relações amorosas com pessoas do mesmo sexo.
O enredo gira em torno da vida de um casal de empresários desleais e com uma vida dupla. O marido mantém uma relação amorosa com um homem, e a mulher com uma jovem.
Franklin Bravo, autor e encenador do espectáculo, explicou a peça tem o seu ponto alto durante uma cena passada num restaurante, em que cada um descobre a opção sexual do parceiro, depois dos gestos feitos pelo empregado de mesa aos dois.
“Gera-se uma discussão motivada pelo ciúme. A mulher descobre que o empregado de mesa, com quem já se envolveu, é namorado do marido. Este, por sua vez, percebe que ela mantém uma relação com outra mulher”, acrescentou.
Franklin Bravo revelou que a peça foi concebida com base num caso semelhante vivido por um amigo que tem medo que se saiba do caso por recear represálias.
“Não se tratar de uma defesa da homossexualidade, nem tão pouco do casamento entre dois homens ou duas mulheres, o que a Constituição angolana não prevê, mas uma dica relativa ao respeito pelas opções sexuais de cada um”, explicou. De acordo com o encenador, a homossexualidade é motivo de discussão em Angola mas ainda não é aceite, “por isso decidimos levar este assunto à cena como forma de análise”.
O grupo foi formado em 2010, fruto da conquista do primeiro lugar no Concurso de Teatro Agostinho Neto nas Escolas, promovido pelo Governo Provincial de Luanda e a empreiteira brasileira Odebrecht.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA