Cultura

Muxima Yetu exibe a peça “Virgem de Cabinda”

Mário Cohen |

O grupo Muxima Yetu Teatro exibiu, sábado e domingo, no espaço Elinga Teatro, em Luanda, a peça “A Virgem de Cabinda”.

Actores do Muxima Yetu Teatro passam pelo Elinga
Fotografia: Garcia Mayatoko | Edições Novembro | Mbanza Kongo

O director do grupo, Alberto Chitula, disse ontem ao Jornal de Angola que o espectáculo teve muita audiência, figuras ligadas ao teatro com destaque para o escritor e dramaturgo Mena Abrantes.
A peça retrata a vida do jovem Quiminamaka Chitula, casado com Santinha, vendedora no mercado Asa Branca. O marido tem como sonho ser um efectivo da Polícia Nacional.
Estreada em Maio, no espaço cultural do “Twavala”, no município do Cazenga, a peça retrata a vida do jovem Quiminamaka Chitula, casado com Santinha, vendedora do mercado Asa Branca, e tem como sonho ser efectivo da Polícia Nacional.
Em concurso público ingressa na Polícia, em Cabinda, onde  faz  recruta e um curso básico. Quiminamaka Chitula conhece uma mulher virgem de nome Wengila, que tem como sonho casar-se com um rapaz de Luanda, e ambos apaixonam-se, e Quiminamaka Chitula vive numa indecisão.
O grupo foi fundado a 19 de Janeiro de 2015, no município do Cazenga, em Luanda. O director Alberto Chitula disse que desde a sua fundação, o grupo apresentou peças em várias salas de Luanda, como no Centro Animação Artística do Cazenga (Anim’Arte), na Igreja Sagrado Coração de Jesus, Cristo Rei, no Museu da Moeda, espaço Paixão Cultura, e no auditório Ninga Mbandi. Do seu repertório constam as peças “Monólogo de um pai”, “Órfão”, “A mulher do tio”, “Maria da Escrequenha”, “Kaicoxi”, “Luanda no luando 1 e 2” e  “Polícia 28”.
O encenador Alberto Chitula, informou que recebeu um convite do responsável da comunidade portuguesa em Angola, para apresentar “A Virgem de Cabinda”, em Portugal e Moçambique, o que poderá ser a primeira internacionalização do grupo.

Tempo

Multimédia