Obra de teatro do Julu repudia discriminação

Roque Silva
25 de Agosto, 2016

Fotografia: Santos Pedro

A discriminação social a que as pessoas com deficiência física são sujeitas é retratada na peça de teatro “O futuro constrói-se hoje”, encenada hoje, às 20 horas, no complexo KDS, em Viana, pelo grupo Julu.



O desprezo da sociedade, a pretexto de incapacidade física, visual ou mental, a protecção contínua às pessoas com qualquer tipo de deficiência e as dificuldades de inserção no mercado de trabalho são os aspectos de maior realce do drama, de 50 minutos de duração.
O espectáculo procura igualmente sensibilizar as empresas para respeitarem a Constituição, pondo fim à marginalização e abrir oportunidades de emprego.
Com texto de Alves Sardinha e encenação de Lourenço Mateus, a peça retrata a vida de um jovem promissor que se entrega ao alcoolismo ao ver os seus objectivos frustrados. Vilolo é um estudante exemplar que perde um dos membros no cumprimento do serviço militar obrigatório. O jovem é excluído nas entrevistas de emprego, muitas delas dirigidas por antigos colegas seus e directores das respectivas empresas, depois de terminar o serviço militar.
Desesperado e em depressão, Vilolo “mergulha” no alcoolismo e morre de uma doença causada pelos efeitos e consequências do consumo excessivo do álcool.
Um dos pontos altos do espectáculo acontece horas antes do funeral, com os seus antigos colegas de escola, hoje directores de empresas, a fazerem promessas à família do malogrado.
A peça também tem momentos de humor, durante as cenas no interior das salas de aula e nos locais de venda e consumo de bebidas alcoólicas.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA