Cultura

Peça “Traços do tempo” exibida no Elinga Teatro

Manuel Albano |

O espectáculo de teatro “Traços do tempo”, do grupo Tunjinguengi, vai ser exibido, amanhã, às 20h00, no Elinga Teatro, inserido no programa da segunda edição do Circuito Internacional de Teatro, que decorre até domingo, em Luanda.

“O Preço do fato” foi a peça escolhida para o encerramento da segunda edição da iniciativa
Fotografia: Paulino Damião | Edições Novembro

Segundo a sinopse, a peça, que foi considerada melhor texto no Festival de Teatro Angola Independente, promovido pelo grupo Arte e Cena, gira à volta da sociedade angolana, desde o período colonial até os dias actuais.
A peça fala dos grandes sacrifícios enfrentados pela personagem “Mãe Angola” ao longo dos anos. Interpretada por seis actores, em 50 minutos, a peça “Traços do tempo” procura abordar o percurso do país até conquistar a paz definitiva.
O encenador Godofredo Pedro disse, ontem ao Jornal de Angola, que procuram valorizar os aspectos importantes da História de Angola, seus heróis e a cultura dos variados grupos e subgrupos étnicos no país.
Para Godofredo Pedro, a ideia é procurar transmitir à população, a importância de uma maior valorização e preservação dos aspectos intrínsecos à cultura angolana. “É importante promover peças que possam trazer à reflexão uma abordagem sobre a forma como poder dar o nosso contributo para ajudar a consolidar o nosso processo democrático e procurar sempre a reconciliação entre irmãos.”   
Formado a 4 de Abril de 1994, no distrito do Rangel, o grupo apresenta peças voltadas para a intervenção social, com destaque para “Vingança espiritual” (2009), “Terra dos Dembos” (1997), “Amor e sofrimento” (1999), “Kissengo” (2000) e “Os transparentes”, uma adaptação do livro homónimo do escritor Ondjaki (2016).

Encerramento do festival


A peça de teatro “O preço do fato” é a proposta do grupo Pitabel para o encerramento, no domingo, às 19h30, da segunda edição do Circuito Internacional de Teatro (CIT), iniciado a 30 de Junho, no Camões - Centro Cultural Português, em Luanda.
A peça procura explorar a criatividade dos actores para mostrar um espectáculo diferente, mas sempre resguardando os traços característicos dos angolanos, através da história fictícia de Cristina, uma jovem natural de Mbanza Congo, que cresce em Luanda e vê a sua relação amorosa em risco devido à tradição.
Fundado em 4 de Agosto de 2001, o colectivo de Artes Pitabel venceu em 2006 o Prémio de Teatro Cidade de Luanda e conquistou três vezes consecutivas o troféu de melhor texto de teatro no Prémio Cidade de Luanda, em 2006, 2008 e 2009. O grupo venceu o prémio DSTV-BWE na edição 2006 e apresentou em 2009 o melhor espectáculo de Luanda no Festival Internacional de Teatro do Cazenga.

Intercâmbio internacional


Um total de 50 grupos e companhias de teatro participam na segunda edição do Circuito Internacional de Teatro (CIT), sendo 40 nacionais e dez estrangeiros, oriundos do Brasil, Moçambique e Portugal, com dois cada, Cuba, Itália, Cabo Verde e França com um.
Os ingressos para os espectáculos de teatro custam dois mil kwanzas individual e seis mil para seis membros da mesma família.
A iniciativa visa incentivar o intercâmbio entre grupos e companhias de teatro de Angola e de outros países, bem como valorizar o processo de criação das artes cénicas e estimular a produção de teatro.
Este ano, a iniciativa conta com o apoio da operadora de telefonia móvel Unitel, razão pela qual a terceira edição do circuito vai ser realizada sob o lema “CIT - Stop Malária”.
A segunda edição do Circuito Internacional de Teatro (CIT), este ano, celebrou “50 anos de Mena”, como dramaturgo e encenador, numa singela homenagem feita por “homens do teatro” a uma grande figura das artes dramáticas angolanas.

Tempo

Multimédia