Película sobre guerreira apresentada em Portugal


12 de Julho, 2014

Fotografia: Dombele Bernardo

“Njinga, Rainha de Angola", realizado por Sérgio Graciano, com Erica Chissapa, Ana Santos, Sílvio Nascimento, Miguel Hurst, Jaime Joaquim e Orlando Sérgio, estreia na quinta-feira em Portugal.

O argumento é de Joana Jorge e a produção executiva de Coréon Dú, Sérgio Neto e Renato Freitas. D. Ana de Sousa. Ngola Ana Nzinga Mbande ou Rainha Ginga (c. 1583 - Matamba, 17 de Dezembro de 1663) foi uma rainha do Ndongo e de Matamba, sudoeste de África, no século XVII.
O seu título real na língua quimbundo - “ngola” -, foi o nome utilizado pelos portugueses para denominar aquela região, Angola. O filme é uma viagem no tempo e na História da Angola para conhecer a vida de luta de uma mulher sem medo que durante 40 anos defendeu a independência dos reinos de Ndongo e Matamba.
A história do filme começa em 1617, ano em que morre o pai de Njinga, o rei Kilwanji, e ela é testemunha do crescente domínio português e da perda de soberania dos povos, o que a faz iniciar a luta pela libertação dos mbundu, sob o lema “Quem Ficar, Luta Até Vencer".
Após quatro décadas de conflito assina a paz com os portugueses, que a reconhecem como a rainha de Matamba e Ndongo.
Presidente da República, José Eduardo dos Santos, acompanhado da esposa, Ana Paula dos Santos.
O filme “Njinga, Rainha de Angola", produzido pela Semba Comunicação, também já foi exibido no Brasil.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA