Poemas de Neto no teatro

Roque Silva |
16 de Julho, 2016

Fotografia: Paulo Mulaza

Alguns poemas de Agostinho Neto ganham vida no espectáculo dramático “Gritos”, a ser apresentado hoje, às 20 horas, no Elinga Teatro, em Luanda, pelo projecto Artevida.

O espectáculo de teatro, um monólogo representado pelo actor Caetano Tomás Forriel, é repleto de cenas adaptadas dos poemas “Dois anos de distância”, “Crueldade”, “Assim exclamava esgotado”, “Sombras”, “Noite”, “Não me exija glórias”, “Confiança” e “Massacre a Cabo Verde”, do livro Sagrada Esperança, do Poeta Maior.
O espectáculo, que foi encenado por Adorado Mara, ganhou igualmente vida com a poesia “Segredos de confissão”, de Fridolim Kamulakamwe. A peça aborda, em 55 minutos, a vida de um jovem privado de liberdade, mas determinado a alcançar a sua independência.
A personagem, no desenrolar da história, declama os poemas usados para a montagem do espectáculo.
A peça venceu o I Festival de Monólogos, em homenagem à Vitória Soares, antiga actriz da Companhia Oásis, da Força Aérea Nacional, realizado de 19 a 27 de Março, na Liga Africana.
“Gritos” acumulou os troféus referentes às categorias de Melhor Representação e de Melhor Declamação de Poema, devido à carga emocional das cenas.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA