Teatro angolano em Lisboa


19 de Abril, 2015

Fotografia: DR

Companhias de teatro de Angola e Cabo Verde participam  no palco B.Leza, em Lisboa, na primeira edição da Mostra Internacional de Teatro que começou na sexta-feira e vai até ao dia 25 de Abril.

Dedicada exclusivamente ao teatro africano, a mostra abriu às 21h00 de sexta-feira com o Grupo Henrique Artes, de Angola, que põe em cena “Hotel Komarka”, uma peça de José Ferrão. “Hotel Komarka” relata a história de sete presos que partilham emoções, crimes, paixões, numa cela da qual tentam escapar.
Ontem, o Grupo Henrique Artes, fundado em Luanda há 15 anos, voltou a subir ao palco para apresentar “Passageira 640”, do encenador e dramaturgo José Mena Abrantes, que aborda questões associadas à violência de género. A companhia Craq Othod, de Cabo Verde, participa nesta primeira edição da mostra, para apresentar “Esquizofrenia”, no próximo dia 24, a partir das 21h00. Escrita pelo dramaturgo, violoncelista e actor Edilson Fortes, “Esquizofrenia” regressa a palcos portugueses um ano depois de ter sido apresentada no Periferias - Festival Internacional de Artes Performativas de Sintra, em 2014.
No dia 25 de Abril, a companhia residente do Centro Cultural Português do Mindelo, em Cabo Verde, Rupe Pàra Moss, leva à cena “A lição”, do dramaturgo Eugène Ionesco, com encenação de João Branco.
A primeira edição da Mostra Internacional de Teatro é organizada pela Kind Of Black Box (KBB), associação cultural sem fins lucrativos que, no início do mês, apresentou “Dinis e Isabel, um conto de Primavera, no castelo de Leiria.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA