Cultura

Teatro de qualidade chega à Cidade do Sequele

Roque Silva |

A história da luta de libertação nacional apresentada ontem e sábado, na Cidade do Sequele, em Luanda, pelo grupo Art Seq, durante a exibição da peça “Dipanda”, marcou o início das actividades de teatro naquela localidade.

Exibição de teatro movimenta o Sequele
Fotografia: DR

O espectáculo, encenado por Miguel Samupafo, retrata a História de Angola, desde a chegada dos portugueses à foz do rio Congo (Zaire), dirigidos por Diogo Cão, em 1482, até à proclamação da Independência, em 1975, por Agostinho Neto.
O descontentamento dos angolanos pela presença dos colonizadores, as reuniões dos autóctones onde era delineada a luta pela liberdade, o início das manifestações populares, os acontecimentos da Baixa de Kassanje que provocou a fuga de centenas de angolanos para países vizinhos, também mereceram destaque na peça representada por actores dos 10 aos 22 anos. A peça, apesar da história dramática, foi apresentada com humor, num palco improvisado, uma vez a localidade não dispõe de um espaço condigno para a exibição de peças  de teatro.
A peça marca o início do teatro na Cidade do Sequele, dois anos depois de a Administração local tem assumido funções, num projecto que prevê a dinamização da arte de representar e da moda. O objectivo, segundo o responsável, Chong dos Santos, consiste em ocupar os tempos livres dos residentes com teatro pedagógico e de qualidade, com o apoio da Administração do Sequele.
A iniciativa visa igualmente preencher uma lacuna cultural na Cidade do Sequele, com apresentação de peças de teatro duas vezes por mês numa primeira fase. O grupo Art Seq surgiu há um ano, depois de apurados 50 jovens, que depois de um ensaio frequentaram uma formação em artes dramáticas.

Tempo

Multimédia