Textos inéditos mostrados em novo livro


20 de Abril, 2015

Fotografia: Reuteres |

“Eu Não Venho Fazer um Discurso” é o título do novo livro sobre o escritor colombiano Gabriel García Márquez, Prémio Nobel da Literatura, que chegou, ontem, ao mercado português.

O livro do escritor colombiano, que marcou várias gerações de leitores de todo o mundo, pelos seus textos com cenários inovadores do realismo mágico, inclui escritos inéditos ou, pelo menos, desconhecidos dos leitores.
À excepção do discurso proferido na cerimónia de entrega do Prémio Nobel da Literatura, em 1982, os restantes textos foram pronunciados principalmente na América do Sul, França e EUA.
O livro, que tem a chancela da Dom Quixote, é para os críticos literários uma obra cujo título contraria o seu conteúdo, porque reúne algo que o seu protagonista prometeu nunca fazer: discursos. “Eu não Venho Fazer Um Discurso” é a terceira frase do texto que, aos 17 anos, Gabriel García Márquez leu aos colegas do liceu de Zipaquirá e é também o título que escolheu para este livro onde se reúnem todos os textos que escreveu para ler em público.
Em 1972, afirmou na cerimónia de entrega do Prémio Rómulo Gallegos por “Cem Anos de Solidão” que havia duas coisas que tinha prometido a si mesmo nunca fazer: “receber um prémio e pronunciar um discurso”.
Nos discursos, Gabriel García Márquez aborda, entre inúmeros temas, a sua vocação, a paixão pelo jornalismo, a inquietação perante o perigo da proliferação nuclear, a proposta para simplificar a gramática, os problemas da Colômbia e a lembrança emocionada de amigos escritores como Júlio Cortázar e Álvaro Mutis.
A colectânea de 22 textos, publicada seis anos depois do lançamento do último romance do escritor, é apresentado também na Espanha e América Latina, no dia 29 de Outubro, com o título de “Yo no vengo a decir un discurso”, pela editora Mondadori.
A leitura dos textos, recorda a editora, levou Gabriel García Márquez a comentar uma vez: “ao ler estes discursos descubro novamente como fui mudando e evoluindo como escritor”. Gabriel José García Márquez (1927-2014) foi escritor, jornalista, editor, activista e político colombiano. Considerado um dos autores mais importantes do século XX, foi um dos escritores mais admirados e traduzidos no mundo, com mais de 40 milhões de livros vendidos em 36 idiomas.
Foi laureado com o Prémio Internacional Neustadt de Literatura em 1972, e o Nobel de Literatura de 1982 pelo conjunto da sua obra que, entre outros livros, inclui o aclamado “Cem Anos de Solidão”. Foi responsável por criar o realismo mágico na literatura latino-americana. Viajou muito pela Europa e viveu até à morte, no México.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA