Cultura

"The Voice" e "Big Brother" inviabilizados pela crise

A crise económica que assola o país há cerca de três anos afectou substancialmente a DSTV e forçou, consequentemente, o reajustamento da grelha de programação e o cancelamento, este ano, dos concursos “The Voice Angola” e “Big Brother África”.

O facto foi revelado à imprensa pelo director-geral da Multichoice Angola, Eduardo Continentino, durante a apresentação do novo pacote (Grande +) da DSTV, que traz como novidades os canais desportivos Super Sport 1 e 2, assim como os informativos CNN e SIC Notícias, ao preço de 6.600 kwanzas.
“Esses produtos são caros, além de que temos de comprar fora do país e estamos com problemas de divisas. Temos os direitos sobre esses programas e a qualquer momento podemos voltar a exibi-los, daí os reajustes”, resumiu Eduardo Continentino. 
Segundo o responsável, o entretenimento de qualidade sempre foi o elemento central na plataforma da DSTV. Por isso, dentro das possibilidades, a direcção da empresa está empenhada em ampliar as opções, proporcionando aos clientes este novo pacote, mesmo em tempo difícil.
O “The Voice Angola” é um concurso de talentos que estreou a 11 de Outubro de 2015 e teve como vencedora a jovem Mariedne Feliciano. O programa é baseado no formato original holandês “The Voice of  Holland” criado pelo produtor televisivo John de Mol.
A versão angolana resulta de uma parceria entre a Multichoice e a African Media & Production Network (AMPN), empresa produtora do programa de televisão baseado numa competição de canto visando a descoberta de talentos musicais com personalidades vibrantes.
A primeira temporada do programa na versão angolana, que teve como mentores Paulo Flores, Yola Semedo, Dji Tafinha e Walter Ananás, é mundialmente conhecido e tem a particularidade de elevar para o estrelato talentos até então anónimos e catapultá-los para um mundo de fama e sucesso.
O “Big Brother África” é produzido pela Endemol, sob o formato original do “Big Brother”, envolvendo concorrentes de Angola, Botsuana, Etiópia, Gana, Quénia, Malawi, Moçambique, Namíbia, Nigéria, África do Sul, Tanzânia, Uganda, Zâmbia e Zimbabwe.
A primeira temporada aconteceu na África do Sul e teve como vencedora a zambiana Cherice, num ano em que Angola foi representada pela cantora Bruna Tatiana, que se classificou na última posição, entre 12 concorrentes.
A segunda edição realizou-se em 2007, no mesmo país, e foi ganha pelo tanzaniano Richard, com uma participação digna de Angola, que conseguiu o terceiro lugar através da modelo, actriz e cantora Tatiana Durão.
Em 2014, sob a égide dos mesmos organizadores, realizou-se o primeiro “Big Brother Angola”, ganho por Luís Andrade da Silva “Larama”. Em 2016, aconteceu a edição conjunta entre Angola e Moçambique, designada “Xtremo”, que foi ganha “ex-aequo” pelo músico angolano Papetchulo e o promotor moçambicano Mistake.

SAPO Angola

Tempo

Multimédia