Cultura

Troca de experiência satisfaz artistas

Os artistas brasileiros da cidade de São Paulo presentes na primeira troca de experiências com jovens angolanos residentes em Benguela, no âmbito do projecto Raízes, mostraram-se satisfeitos pelo fortalecimento do intercâmbio cultural entre Brasil e Angola.

Artistas aperfeiçoam técnicas de escrita e poesia
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

Ao fazer o balanço, na sexta-feira, a coordenadora da delegação brasileira, Juliana Borges, considerou positiva a participação dos artistas angolanos no programa elaborado, o que permitiu enriquecer o conhecimento cultural dos povos de ambos os países.
Juliana Borges reconheceu que o ambiente permitiu o despontar de artistas que começaram a acreditar mais na sua arte. Por essa razão, Juliana Borges salientou que a intervenção do projecto Raízes junto dos criadores angolanos, em Benguela, ultrapassou as expectativas.
“Recebemos de volta muito amor, carinho e agradecimento”, acrescentou Juliana Borges. Por sua vez, a antropóloga brasileira, Rosa Falzoni, emocionou-se pela oportunidade de estar em Angola, particularmente em Benguela, “por toda a história de irmandade entre os dois países” e acredita que as oficinas de elaboração de projectos realizadas com salas cheias irão permitir aos artistas angolanos desenvolver seus trabalhos a partir da experiência aprendida.
Em representação dos artistas angolanos, o porta-voz da Associação Provincial de Teatro (Aproteb), Esteves Quina, qualificou como proveitosa a vinda dos artistas brasileiros, a julgar pela formação gratuita, com salas lotadas, nas áreas de empreendedorismo cultural, poesia, ritmo, dramaturgia e oficinas de teatro. Esteves Quina anunciou que, uma delegação de artistas angolanos das mais diversas áreas, vai se deslocar à cidade de São Paulo, em 2018, com o mesmo propósito.
O programa incluiu visitas a locais históricos, como a comuna do Dombe Grande e Baía Azul, oficinas de música, poesia, escrita criativa, teatro e gastronomia.

Tempo

Multimédia