Cultura

Trova e dança tradicional no Dia de Angola na Expo

António Bequengue |

Divulgar e promover a “Energia para todos” é o grande objectivo da participação de Angola na Expo Astana 2017, que hoje comemora o seu dia nacional na exposição, com a realização de várias actividades com destaque para a gala a ser animada pelo Duo Canhoto, Ballet Kilandukilu e Nelo de Carvalho.

Vários cidadãos têm acorrido ao pavilhão de Angola na Expo, que comemora o seu Dia Nacional
Fotografia: Daniela Grilo | Expo Angola

As comemorações do Dia de Angola na Expo Astana estão a servir para mostrar, na capital da República do Cazaquistão, as potencialidades culturais do país, sobretudo a trova feita pelo Duo Canhoto, formado por Antero Ekuikui e Guilherme Maurício, a dança tradicional produzida pelo Kilandukilu e a rítmica nacional de Nelo de Carvalho.
O Kilandukilu, considerado o embaixador angolano da dança tradicional, é detentor de um vasto repertório de obras que retratam as diferentes regiões do país. Por essa razão, as suas exibições no país e no estrangeiro têm sido coroadas de muito êxito.
À semelhança da sua  participação em anteriores exposições internacionais, espera-se que o grupo, um dos escolhidos para animar as comemorações do dia nacional na Expo 2017, tenha a mesma proeza.
A dupla, Antero Ekuikui e Guilherme Maurício, pioneiros da trova em Angola, vai aproveitar a oportunidade para interpretar temas do seu primeiro álbum “Lado esquerdo” e do cancioneiro popular angolano, retratando o dia-a-dia dos angolanos, num casamento perfeito entre voz e melodia.
Nelo de Carvalho é um artista que cria outras “pontes”, numa incursão arrojada pela fonética hispânica, os ritmos afro-latinos e ibéricos, numa miscelânea de sons muito presentes no seu mais recente disco multicultural.
O disco “Las voces y los cantos”, lançado no início do mês, em Lisboa, encerra a trilogia discográfica do músico, depois das apresentações dos álbuns “Encontros” (2013) e “Reencontros” (2015).
A caravana artística nacional tem prevista a realização de seis espectáculos desde ontem até 3 de Agosto, no pavilhão de Angola e um no pavilhão africano, na segunda-feira, por ocasião do Dia da Mulher Africana.

Visitas ao pavilhão
Segundo dados estatísticos, até ontem, um total de 180 mil visitantes de vários países tinha passado pelo pavilhão de Angola, cuja temática centra-se em duas questões chaves: “Energia no combate à pobreza” e “Acesso à energia limpa como método de catalisação do desenvolvimento económico”.
O pavilhão está estruturado com base nas duas teses e invoca os últimos projectos e políticas sugeridos pelo Governo de Angola, incluindo o Plano Nacional de Energia.
Neste plano de longo prazo, é recomendada a utilização de energia ecologicamente limpa que reflecte os esforços de mitigação das mudanças climáticas e também novas aspirações visando assegurar o acesso a soluções energéticas ecologicamente limpas e eficientes para todos como um método de superação da pobreza. Estimula o desenvolvimento e a assistência no desenvolvimento de um modo de vida mais sustentável para as gerações futuras.
Uma mesa-redonda sobre “Oportunidades de negócios e investimentos em Angola”, que contou com a participação do ministro da Economia, Abraão Gourgel, e do secretário de Estado das Águas, Luís Filipe da Silva, foi realizada ontem, na Expo Astana 2017.

Tempo

Multimédia