Tudo a postos para a festa da Cultura

Víctor Mayala | Mbanza Congo
6 de Janeiro, 2015

Fotografia: JAIMAGENS

Os preparativos do acto central do Dia da Cultura Nacional, na quinta-feira, na cidade de Mbanza Congo, decorrem a ritmo acelerado e falta ultimar apenas alguns detalhes.

Neste momento, as comissões criadas trabalham na criação de técnicas e logísticas, para que as actividades, realizadas em alusão à data, decorram sem obstáculos. O Largo António Agostinho Neto, situado no espaço adjacente ao edifício sede do Governo Provincial do Zaire, está embelezado para acolher todos os que ali acorrerem para assistir ao acto central, a ser presidido pela ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva, que quinta-feira encabeça uma vasta comitiva integrada por vários membros do seu pelouro e outras individualidades.
Nas principais ruas da cidade de Mbanza Congo são também visíveis os cartazes que se associam aos adornos da quadra festiva, anunciando aos habitantes locais a realização do acto central. A escolha, este ano, de Mbanza Congo pelo Executivo para a realização do acto central do Dia Cultura Nacional, deixa também felizes os munícipes que consideram ser um facto animador em relação aos esforços que estão a ser desenvolvidos à consagração da cidade a património mundial da humanidade, cujo dossier definitivo é entregue à UNESCO no final deste mês.
António Mpengo, 30 anos, munícipe de Mbanza Congo afirmou que o facto demonstra a atenção que o Executivo tem para com a região, cujos habitantes devem ser alertados sobre a questão da valorização dos sítios históricos e do seu património imaterial. “É louvável a escolha de Mbanza Congo para acolher o acto central do Dia da Cultura Nacional. Estamos expectantes que o desfecho do projecto Mbanza Congo - Cidade a desenterrar para preservar  seja um êxito, tal como a inscrição da cidade na lista do património mundial da humanidade”, disse.

Ritual tradicional

O director da Cultura no Zaire, Biluka Nsakala Nsenga, referiu que o programa de actividades alusivas à data, coordenado pelo governador provincial, Joanes André, é aberto hoje com a realização de um ritual pelas autoridades tradicionais do Lumbu (sala de julgamentos tradicionais) no Museu dos Reis do Congo e no Kulumbimbi, onde estes vão solicitar a ajuda dos antepassados num ritual, de forma a que nenhum incidente possa ocorrer nas festividades.
As festividades incluem ainda um espectáculo com Kyaku Kyadaff, W. King, Socorro, Chana Vice, Júlio Gil, Gumas, Mig e a Banda Jabumba.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA