Cultura

Twana Teatro estreia a peça “Paraíso Kilamba”

Mário Cohen

O grupo Twana Teatro exibe, em estreia, a peça “Paraíso Kilamba”, na sexta-feira, às 20h00, na sala do Horizonte Njinga a Mbande, em Luanda.
A estreia da obra surge depois de uma temporada de espectáculos marcada pelas adaptações dos livros literá-rios “Roque, Romance de um Mercado”, de Hendrik Vaal Neto, “Clandestinos no Paraíso”, de Luís Fernando e “Antologia poética”, do Movimento Berço Literário.

Fotografia: DR

Victor Sampaio, encenador e director do grupo, disse ao Jornal de Angola, que a obra homenageia o modelo urbano adoptado pelo Executivo, e apela a partilha de ideais, a convivência harmoniosa, a cordialidade e a preservação dos bens públicos.
O encenador deu ainda a conhecer que a peça exorta aos munícipes da centralidade do Kilamba, para preservar os bens adquiridos para um abrigo saudável para a família como valorização do esforço do Executivo em criar condições para acomodação da população.
A antestreia aconteceu dia 30 de Setembro, às 20h00, na LAASP, ex-Liga Africana, em Luanda. Com a duração de quase uma hora, a obra tem como ênfase a união, e  concórdia entre os moradores daquela centralidade, de maneira a cultivar o amor ao próximo, porque consideram que “vizinho é a família mais próxima”.
O grupo tem sido uma construção constante não só de eventos e espetáculos como também de pessoas, com re-gras e métodos que o identifica, que são recriados e repensados, diariamente para “nos tornarmos pessoas di-ferentes e melhores, através das temáticas das nossas obras, com um e único objectivo: deixar o mundo melhor do que encontramos é o nosso lema. Paz, amor e união”, disse o encenador.
O grupo Twana Teatro foi fundado a 28 de Fevereiro de 2002, por jovens do distrito urbano do Sambizanga, com o objectivo de afastar os jovens da delinquência e das drogas através de actividades artísticas.
O grupo venceu o Festival de Teatro do Sambizanga, edição 2010, com a obra “Luanda, a Cidade do diabo”, foi primeiro classificado do prémio de Teatro Santa Bakita (Cazenga), edição 2014, com a obra “Um dia como outro qualquer”, grupo Revelação no Prémio Cidade de Luanda, edição 2010, com a obra “Luanda, a casa dos loucos”, vencedor do Festival de Teatro das Igrejas Evangélicas de Angola, edição 2014, com a peça “O Bismo” e terceiro classificado no Fest-Bando, no Sambizanga, edição 2012, com a obra “A lanchonete da esquina”.

Tempo

Multimédia