Um actor angolano narra Shakespeare

Jomo Fortunato |
2 de Maio, 2016

Fotografia: Francisco Bernardo

O actor Meirinho Mendes deu voz à narração e interpretou diferentes personagens em “Sonho de uma noite de verão”, ópera inspirada na peça homónima de William Shakespeare, no âmbito das comemorações dos quatrocentos anos da morte do dramaturgo inglês.

A ópera é uma co-produção entre a Orquestra Nacional de Bordeaux Aquitaine, e a Fundação Sindika Dokolo, no âmbito da III Trienal de Luanda.
Pela sua riqueza, complexidade e universalidade da sua obra, William Shakespeare, 1564-1616, deixou uma marca indelével no mundo do teatro, sendo um dos artistas, mais traduzidos e transfigurados para o universo da música clássica, por autores que vão desde Purcell, Beethoven, Berlioz, Verdi, Thomas, passando por, Tchaikovsky,Sibelius, Prokofiev, e Britten.
Por ocasião do 400º aniversário da morte de William Shakespeare, Paul Daniel, Director da Orquestra Nacional de Bordeaux Aquitaine, França, propôs uma série de eventos, um dos quais a representação, do “Sonho de uma noite de verão”, ópera que junta ao texto de William Shakespeare, a música do alemão, FélixMendelssohn, 1809- 1847, a encenação da cineasta e dramaturgafrancesa, Julliet Dechamps, com a colaboração do artista plástico angolano, Binelde Hyrcan.
Especialmente convidado por Paul Daniel, Meirinho Mendes falou desta experiência, ímpar, enquanto narrador da ópera nos seguintes termos: “Exibimos a peça no dia 07 de Abril de 2016 no “Auditorium” de Bordeaux, e importa realçar que a encenação foi inspirada na forma angolana de contar estórias, estratégia narrativa que se assemelha, de certa forma, ao universo narrativo shakespeariano, que o encenador teve oportunidade de vivenciar, numa de suas passagens por Angola.
No mesmo contexto, foi produzido e realizado um filme, em Luanda, com algumas crianças da Ilha de Luanda, facto que suportoue enriqueceu a natureza multi-cultural do projecto, com diferentes segmentos artísticos.
Na representação convergem: música, teatro e vídeo, tornando esta ópera, numa obra-prima de grande valor simbólico, e alcance artístico. Os protagonistas do filme, Cândido Fernandes, José Hossy, Carlos Domingos, Espanhol e Joãozinho Kingole, foram convidados pela organização, a deslocarem-se a Bordeaux, para assistirem a estreia, constituindo um momento singular das suas vidasque muito os emocionou. Quero realçar que a peça, “Sonho de uma noite de verão”, foi aplaudida pelo público de forma entusiástica, e já temos agendada uma digressão por várias cidades europeias: Paris, Londres e Montpellier, incluindo, obviamente, Luanda”.

Dramaturgo

William Shakespeare morreu em Abril de 1616, há 400 anos, e foi um dos mais influentes escritores e dramaturgos da história da literatura universal.
Autor dos clássicos, Romeu e Julieta, Hamlet e Macbeth, William Shakespeare começou sua carreira como actor no teatro de Londres, por volta de 1592, e escreveu aquela que seria a sua mais conhecida peça teatral, Romeu e Julieta, em 1595, que conta um romance entre o casal, cujas famílias se odiavam.
O “bardo”, como ficou conhecido o dramaturgo, também escreveu comédias, como “Sonho de uma noite de verão”, e famosas tragédias, como: Ottelo, a amaldiçoada Macbeth e Hamlet, de onde surgiu a sua frase mais conhecida: “Ser ou não ser, eis a questão”.

Compositor


Félix Mendelssohn, compositor da trilha sonora de “Sonho de uma noite de verão”, era considerado uma criança prodígio, e começou a ter lições de piano com a sua mãe, aos seis anos de idade. Pianista e maestro alemão, do início do período romântico, estudou composição em 1817, e, com apenas treze anos, escreveu e publicou um quarteto parapiano, o seu primeiro trabalho. Félix Mendelssohn foi filho de um banqueiro, neto do filósofo judaico-alemão Moses Mendelssohn, e membro de uma família judia notável. Félix Mendelssohn cresceu num ambiente de intensa efervescência intelectual, e a visita de grandes vultos da intelectualidade alemã, eram frequentes na casa da sua família, em Berlim.

Sinopse

Conforme podemos ler no prospecto informativo da peça: “Sonho de uma noite de verão” foi escrita por Shakespeare entre 1594 e 1596, com música de Félix Mendelssohn,escrita especialmente para a peça, há mais de 200 anos depois. Na história, quatro jovens enamorados numa noite de verão, estão num bosque: paixões, casamentos, acção, brigas e reconciliações na floresta dão a tónica ao enredo. Lisandro ama Hérmia, que também ama Lisandro e é amada por Demétrio, que é amado por Helena. Uma reviravolta e Demétrio passa a amar Helena, que também o ama, e é amada por Lisandro, que é amado por Hérmia. A trama ainda é temperada com duendes, fadas e outros seres mitológicos que habitam esse bosque, além do toque de personagens da realeza. O curioso da obra de Mendelssohn é que ele a compôs em diferentes momentos. No início da carreira, escreveu a abertura para concerto, em 1826, e somente em 1842 compôs a música incidental com base na peça de “Sonho de uma noite de verão”, a qual incorporou a abertura.
A palavra Ópera, que em italiano significa trabalho, e em latim, “opus”, traduz-se por, obra, é um género artístico teatral que consiste num drama encenado acompanhado de música, ou seja, composição dramática em que se combinam música instrumental e canto, com presença ou não de um diálogo falado.

Filme

O filme, projectado no contexto da exibição da ópera, resultou de uma viagem a Angola da realizadora, Juliette Deschamps que teve a oportunidade de vivenciar a forma como os angolanos narram as suas histórias, que, do seu ponto de vista, se assemelham ao  universo narrativo shakespeariano. Rodado em Luanda, Ilha, Mussulo, e Baía, o filme teve como actores: Cândido Fernandes, José Hossy, Carlos Domingos, José Carlos Zequinha, Espanhol e Joãozinho Kingole, jovens residentes na Ilha de Luanda e que se dedicam à pesca artesanal. A produção esteve a cargo do atelier do artista plástico, BineldeHyrcan, incluindo a realização e colaboração artística, produção executiva de Francisco Valente, e a operação de câmara de Lyonel Fevereiro.

Percurso

Filho de Luís Mendes e de Filomena Bento, Adérito Bento da Silva Mendes nasceu em Luanda no dia 12 de Maio de 1970. Iniciou a sua actividade artística em 1989, no ElingaTeatro, e tem desenvolvido trabalhos, em cinema, televisão e dança, quer em Portugal, como em Espanha, países onde residiu, estudou e desenvolveu a sua actividade artística. No domínio da formação frequentou o Pré-Universitário de Luanda, de 1988 a 1990, na área de Ciências Sociais, e de 2002 a 2005, concluiu o curso de formação de actores da Universidade Autónoma de Madrid.
Meirinho Mendes teve ainda como complementoà sua formação os seguintes cursos: Técnica de Representação, Elinga, 1989, Dança Contemporânea Africana, 2006, Formação em Técnicas de Clown, Montagem de coreografias, Contador de Estórias, Representação para a câmara em televisão, e Iniciação ao teatro e cinema. No domínio do cinema, Meirinho Mendes participou nos filmes: “Via de acesso”, de Nathalie Mansoux, em 2008, “Cinerama”, de Inês Oliveira, em 2007, “Na cidade vazia”, de Maria João Nganga, 2004, e “Comboio da Canhoca”, de Orlando Fortunato, igualmente em 2004. Dos seus vários projectos em televisão, destacamos a série humorística, Makamba Hotel, uma co-produção entre a Valentim de Carvalho, e a TV Zimbo, e projectos no domínio da dança. Tem desenvolvido desde 2005, com o actor Raúl do Rosário, um trabalho contínuo com o Núcleo de Teatro da Fundação SindikaDokolo, do qual é coordenador, com Direcção Artística do encenador Rogério de Carvalho, e Direcção Geral de José Mena Abrantes, no âmbito da III Trienal de Luanda.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA