Vencedores receberam os prémios

Mário Cohen |
14 de Fevereiro, 2016

Fotografia: Dombele Bernardo

Os grupos vencedores do Carnaval 2016 das classes A, B e C, receberam, ontem, na Liga Africana, os seus respectivos prémios referente ao desfile de Luanda, entregues pela Comissão Provincial do Carnaval.

Depois da cerimónia de entrega de prémios e troféus, os três primeiros classificados de cada uma das categorias, nomeadamente União Njinga Mbande, União Recreativo Kilamba e Viveiros do Njinga Mbande, dançaram no pátio da Liga Africana, demonstrando que foram merecedores dos galardões do Carnaval luandense.
A ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva, ao proceder a entrega do prémio ao grupo vencedor da classe A, o União Njinga Mbande, disse que o Carnaval de Luanda está à altura das expectativas, resgatando todo património material em que está inserido a tradição angolana.
Rosa Cruz e Silva disse que “o Carnaval hoje, em todo território nacional, se tornou num instrumento de preservação, de resgate e de afirmação de identidade cultural. Apesar das dificuldades”.
A ministra louvou o facto de a Comissão Provincial do Carnaval ter apresentado vários estilos de danças. A vice-governadora provincial de Luanda para a área politica e social, Juvelina Imperial, afirmou também terem se registado inovações introduzidas pelos grupos, principalmente nas indumentárias em que foi visível novas propostas e tendências “realizadas com muito profissionalismo, incluindo grande evolução nas canções”.
Juvelina Imperial considerou que as coreografias demonstradas é sinal que “o nosso Carnaval tem futuro”. A vice-governadora provincial de Luanda pediu às administrações municipais e distritos urbanos no sentido de ajudarem os grupos carnavalescos de maneira a protagonizarem uma cultura mais natural.
Juvelina Imperial agradeceu aos órgãos da comunicação social pela cobertura e divulgação do Carnaval, o que permitiu que outras províncias acompanhassem o vibrar “da nossa ngoma e matriz cultural do Carnaval de Luanda”.
A vice-governadora provincial de Luanda acrescentou que o Carnaval de Luanda vai continuar na vanguarda, estão a ser criadas condições para uma maior promoção para que seja visto como produto turístico rentável do ponto de vista económico para que os grupos possam tirar proveitos. A classificação do Carnaval de Luanda permitiu o retorno do União Operário Kabocomeu e do União 54 para a classe A, dois dos grupos tradicionais que vão voltar ao desfile central, na próxima edição, após terem concorrido na classe B do Entrudo.
A dança cabecinha, apresentada pelo grupo União Njinga Mbande, do município de Viana, foi o segundo estilo exibido, além do semba, dançado pela maioria dos grupos.
A kabetula embora tenha sido dançada pelo União Kazucuta do Sambizanga, não concorreu por que o grupo foi homenageado pelo Ministério da Cultura, tendo se registado a falta das danças kazucuta, kabetula e dizanda na classe A.

Prémio BAI da Canção

O juri do Prémio BAI da Canção, que serve de incentivo para os compositores, premiou a canção “Ubelesela” do União 17 de Setembro, como a melhor da classe A, enquanto “Bangão Uafua”, canção do grupo União Operário Kabocomeu, que homenageou o falecido músico Bangão, foi eleita a melhor da classe B. Para a classe C (infantil), a canção “Twala ni Oma”, dos Viveiros do Njinga Mbande, sagrou-se a melhor.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA