Vida de Shakespeare conquista a crítica


28 de Julho, 2014

Fotografia: DR

A adaptação da Disney para o teatro do filme “A Paixão de Shakespeare” recebeu elogios de quase toda a crítica em Londres, para alívio dos seus criadores que estão satisfeitos por ver a sua grande aposta destinada a ser um sucesso.

A peça de teatro, baseada no filme de Hollywood estreado por Gwyneth Paltrow e Joseph Fiennes, em 1998, foi ovacionada de pé pela plateia na sua estreia, no Noel Coward no West End, o bairro dos teatros em Londres.
Com o apoio da Disney, que está por trás de sucessos de bilheteira como o “O Rei Leão”, e co-produção da produtora britânica Sonia Friedman, a adaptação estreou directo num teatro comercial, ao invés de entrar em cartaz num local subsidiado pelo governo, como é comum nos palcos britânicos.
“É uma produção tão grande que é, provavelmente, a maior peça de teatro encenada no West End”, disse à Reuters o dramaturgo Lee Hall, que fez a adaptação do argumento do filme, escrito também por Tom Stoppard.
“Temos um conjunto bastante complicado, de 28 actores e um cão. O planeamento levou anos e estou atordoado por finalmente chegar aqui, mas é maravilhoso obter uma resposta tão calorosa”, acrescentou Lee Hall.
Os críticos elogiaram com ênfase Tom Bateman e Lucy Briggs-Owen nos papéis do jovem William Shakespeare e da herdeira Viola De Lesseps, que está apaixonada pelo escritor e se disfarça de homem para conseguir o papel do protagonista masculino na sua produção de “Romeu e Julieta”, na Londres de 1593.
“Lucy Briggs-Owen está encantadora”, escreveu o crítico Quentin Letts, do “Daily Mail”, embora tenha feito reparos aos gestos da actriz. Michael Billington, do “The Guardian”, definiu, num artigo, a adaptação feita por Lee Hall do argumento, como “uma carta de amor ao teatro em si, que celebra o modo como a magia e o mistério nascem do caos e confusão”.
Questionada sobre como foi interpretar um papel com o qual a actriz Gwyneth Paltrow ganhou um Óscar, Lucy Briggs-Owen disse: “É como fazer qualquer grande papel de Shakespeare. Na verdade, a pessoa tem que esquecer toda a informação sobre os grandes nomes que o interpretaram”, disse.
“A Paixão de Shakespeare” é um filme de 1998, realizado pelo cineasta John Madden, que foi co-produzido pelos Estados Unidos e o Reino Unido, do género comédia romântica.
No filme, William Shakespeare precisa escrever uma nova peça de teatro, uma história de amor com um fim trágico, mas está a sofrer um bloqueio e somente uma musa inspiradora pode ajudá-lo. Ao se apaixonar por Lady Viola, ele volta a ter inspiração e escreve a peça Romeu e Julieta. Na época, as mulheres não podiam interpretar peças de teatro, mas Lady Viola vestiu-se de homem para poder participar na peça de William Shakespeare, mas eles acabam por se apaixonar mesmo sendo ela noiva de Lord Wessex, um nobre, dono de terras na Virgínia, que está à procura de dinheiro para voltar para os Estados Unidos na corte da Rainha Isabel I, que autoriza, no final, a participação de mulheres no teatro após descobrirem que Lady Viola se vestia de homem para participar nas peças.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA