Viena instala monumento para os desertores da guerra


29 de Outubro, 2014

Fotografia: Divulgação

Um monumento, inaugurado agora na cidade de Viena, homenageia os milhares de austríacos que na II Guerra Mundial desertaram do Exército de Hitler na II Guerra Mundial.

A Alemanha anexou a Áustria em 1938 e tornou o país parte do Terceiro Reich, responsável por muita destruição na Europa e pelo massacre de milhões de judeus.
O Parlamento austríaco votou em 2009, apesar da objecção de alguns partidos de extrema-direita, uma proposta a repor a dignidade dos que durante a guerra foram marginalizados por se recusarem a colaborar com os nazis.
“Se o Exército de Adolfe Hitler eram os bons, então os desertores eram evidentemente os maus, que deveriam ser atacados”, disse o activista Richard Wadani, 92 anos, um dos desertores. O Presidente austríaco, Heinz Fischer, considerou ultrajante que as pessoas continuassem a ser tratadas da mesma maneira numa Áustria democrática do pós-guerra.
“É algo pelo qual se deve ter vergonha e pedir desculpas e ter vergonha”, referiu.
A Áustria, que continua a lutar se livrar da acusação de ter minimizado a sua História no período da guerra, foi a primeira vítima de Hitler.
O monumento, de autoria do artista alemão Olaf Nicolai, simboliza o sofrimento dos que foram condenados ao ostracismo pela sociedade.
Apesar das críticas de alguns veteranos para quem nem todos os desertores de guerra devem ser homenageados existem outros monumentos na Áustria e na Alemanha de homenagem aos que abandonaram as armas e os campos de batalha.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA