Cultura

Vozes Soltas actua em Luanda

Manuel Albano

O grupo de teatro Vozes Soltas, da província da Huila, exibe amanhã, a partir das 20h00, no auditório do Instituto Médio Politécnico Alda Lara, em Luanda, a peça intitulado “Três gerações”.

Actores da província da Huíla em digressão artística na capital do país apresentam amanhã à noite o espectáculo de teatro “Três gerações”
Fotografia: Edições Novembro

De acordo com a sinopse, a peça do género comédia desenrola dentro de uma residência, num ambiente urbano e bastante modesto. Coloca frente à frente três homens de gerações diferentes com laços parentesco muito próximo.
Avô, pai e filho que por força do destino acabaram todos partilhando as suas experiências de vida na mesma casa e a viverem todos solteiros. Diante das dificuldades do quotidiano da vida, o ancião por ser o proprietário da residência tenta tirar partido da situação, em relação aos demais.  As desavenças culturais, sociais e económicos são constantes pelo facto de o ancião achar que seus parentes não deviam permanecer em sua casa e que cada um devia ter o seu próprio espaço, onde pudesse desenvolver as suas actividades.
O racismo, comodismo, indiferença e a questão da partilha dos bens materiais é também um dos aspectos relevantes da peça “Três gerações”. O encenador do grupo Hélder Cerejo disse, ontem, ao Jornal de Angola, que a proposta do espectáculo para a cidade de Luanda, deve-se aos vários relatos e situações que diariamente vão acontecendo no país, por causa da partilha da herança dos progenitores.
O propósito, disse, é fundamentalmente procurar reflectir sobre alguns fenómenos sociais e cultural, fundamentalmente, que possam estar na origem de tais atitudes comportamentais, particularmente verificadas nos jovens. “A falta de condições económicas, tem sido um dos factores que estão a criar esses conflitos familiares”.
O grupo teatral Vozes Soltas foi fundado a 29 de Novembro de 2004, na província da Huíla, município do Lubango. O grupo teatral Vozes Soltas está constituído por oito actores, sendo cinco rapazes e três raparigas, contando com a colaboração de mais 12 actores não efectivos.
No seu reportório consta peças na sua maioria do género drama, comédia e conto, com  destaque para “Soltou-se a voz calada”, “O arrependimento”, “Deus me abandonou”, “O beijo mortal”, “O regresso de quem não se esperava”, “ Tendências duvidosas”, “O preço da ambição”, “Vidas cruzadas”, “Neto o Herói Nacional”, “ Pelé”, “O caranguejo”, “O táxi” e “O vizinho de lá”. O grupo de teatro Vozes Soltas recebeu uma menção honrosa em 2005, pela associação Ombro Amigo.

Tempo

Multimédia