Cultura

Yola Araújo dedica um disco ao amor

Roque Silva|

“Em nome do Amor” é título do quarto disco de originais a solo da cantora Yola Araújo, a ser apresentado amanhã, a partir das 8h00, no Parque das Independência, durante uma cerimónia de venda e sessão de autógrafos.

Cantora convida músicos de peso no seu novo trabalho que chega ao público este domingo no Parque da Independência
Fotografia: DR

“Em nome do Amor” é título do quarto disco de originais a solo da cantora Yola Araújo, a ser apresentado amanhã, a partir das 8h00, no Parque das Independência, durante uma cerimónia de venda e sessão de autógrafos.
O director de produção musical da LS, produtora responsável pela edição do disco, Leonardo Prata, disse em entrevista ao Jornal de Angola que este tem 14 temas e foi gravado em Luanda, Portugal, Holanda e França.
Leonardo Prata referiu que a kizomba, o semba, e o r&b são os géneros predominantes do disco. As composições das músicas foram elaboradas por Daniel, Walter Ananás, Matias Damásio, Anselmo Ralph, Paulo Matomina, William Araújo, Punidor, Nelson Freitas, e Suzana Lubrano, sendo que esta última emprestou a sua voz no coro das músicas, assim como Djamila Delves, Roger, Zizy, Caxuxa, e Caroline.
 “Em nome do Amor” conta com duetos de Yola Araújo com Jacob Desvarieux, guitarrista, produtor e fundador da banda Kassav, e o cantor angolano Kadhaf, do trio Kalibrados.
O produtor musical da LS afirmou que as músicas foram produzidas por Caló Pascoal, Aires, Geovany, Ali Angel, Cherry Charbonnnier, Nelson Freitas, Loony Johnson, Dji Tafinha, e M&N, e foram editados em França 20 mil exemolares, pela LS Music, produtora também encarregue da distribuição da obra.
Com 13 anos de carreira, e o quarto álbum a caminho, Yola Araújo torna-se na cantora angolana com mais discos editados e uma das vozes femininas mais ouvidas.
Natural da Lunda-Sul, a sua carreira começou em 1997, quando fazia coros para outros artistas, actividade que lhe deu a oportunidade de entrar no meio musical. Em 1999 integrou, juntamente com Margareth do Rosário e Djamila D’elves, o grupo Melomanias, um projecto do produtor Beto Max.

O primeiro álbum

Depois das Melomanias, em 2000, Yola Araújo lançou, no ano seguinte, o seu primeiro álbum individual, intitulado “Sensual”, editado pela Giva Produções, dos cabo-verdianos Gil e Vado Semedo.
Com este trabalho, a artista ganhou notoriedade e passou a fazer parte das melhores vozes femininas da época, pela. A cantora é a autora de 90 por cento das letras das suas canções e as músicas pertencem, fundamentalmente, a Jorge do Rosário, exceptuando um dos temas, de Manu Soares.

Disco de prata

Com o segundo trabalho discográfico “Um Pouco Diferente”, lançado em 2004, Yola Araújo arrebatou um disco de prata, pela venda de 50 mil cópias, dentro e fora de Angola. O disco foi, na altura, um dos mais ouvidos pelo público jovem e um dos mais tocados nas casas nocturnas, e teve produção musical de Heavy C e Johnny Ramos, e as participações de Ali Angel, e Os Quatro. 
Em 2006 saíu o seu terceiro disco, “Diferente e Mais um Pouco”, que contou uma vez mais com as participações de Heavy C e Johnny Ramos, e as produções de Johnny Fonseca, Grace Évora, Nelson Freitas, Jerry Charbonnier e Gregório Custos. “I Just Wanna I Love You”, “Amizade”, “Luanda Serena”, “Deixa Estar”, “Não Acredito”,”Só Pra Mim”, “Quadradinha”, “Panca”, “Não Me Importa” e “Estragaste” são, entre outros, os sucessos mais conhecidos da ex-companheira de palco de Margareth do Rosário e Djamila Delves.

Tempo

Multimédia