Zinha Monteiro expõe vivências

Manuel Albano |
22 de Junho, 2016

Fotografia: Eduardo Pedro

Os anos de vivências e a experiência nas artes plásticas deram origem à exposição “Reflexos de uma vida”, da pintora Zinha Monteiro, a ser inaugurada na sexta-feira, às 18h00, na Galeria Tamar Golan, em Luanda.

Em declarações, ontem, ao Jornal de Angola, Zinha Monteiro realçou que a exposição é a consequência de um percurso de vida do passado, presente e futuro, retratando a história a preto e branco.
A artista adiantou que os quadros, num total de 16, revelam lembranças e etapas “douradas”, das décadas de 50, 60 e 70, cujo objectivo é enaltecer o contributo da mulher angolana na reconstrução nacional e o resgate dos valores, ao longo do seu processo de emancipação.
Na mostra, que vai estar patente durante três semanas na Tamar Golan, Zinha utiliza o “spray” como técnica para fazer os seus quadros, adiantando que usa ainda a arte decorativa em garrafas e jarras nas obras a serem expostas.
A artista procura na exposição “Reflexos de uma vida” chamar atenção para a importância de uma maior valorização da convivência, igualdade social, preconceitos e preservação da natureza. Nas telas, Zinha mostrar o valor da mulher em épocas em que era ainda vista como doméstica e presa, sem acesso à educação nem a oportunidades no mercado de trabalho como os homens. “Primo, nos meus trabalhos, por fazer uma reflexão da necessidade de as mulheres acreditarem mais no seu potencial humano, por forma a continuarem a conquistar um espaço sólido na sociedade.”
A artista defende uma mudança de consciência da sociedade, deixando para trás os preconceitos e a desigualdade social. “Os meus quadros são também um pouco do reflexo das acções sociais que desenvolvo aos finais de semana e em efemérides que consistem no apoio aos mais desfavorecidos, num apelo às mesmas oportunidades para todos.” O surgimento de mais espaços artísticos no país tem dado oportunidade aos criadores angolanos de mostrarem o seu talento, particularmente nas artes plásticas, defendeu a pintora Zinha. “A formação deve ser uma prioridade para uma melhor preparação da nova geração de artistas plásticos, num mercado em constante crescimento a nível nacional e também internacional.”
Mariazinha Monteiro, ou simplesmente Zinha, nasceu no município da Caála, Huambo, em 1954. Em 2008, regressou definitivamente para Angola, depois de viver alguns anos em Portugal.
Autodidacta em trabalhos de artes plásticas, ela aplica a técnica de spray nos trabalhos de arranjos florais, areias decorativas e decoração. Membro da União Nacional de Artistas Plásticos (UNAP), já participou em várias exposições colectivas.
Em 2014, foi convidada para participar no projecto artístico mural do Rocha Pinto, onde apresentou vários trabalhos ligados à preservação da natureza. “Luz e vida” é o título da primeira mostra individual de artes plásticas de Zinha,  apresentada no ano passado  no Salão Internacional de Exposições da UNAP.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA