Desporto

1º de Agosto e Petro disputam troféu de abertura da época

Teresa Luís

Petro de Luanda e 1º de Agosto defrontam-se hoje, às 18h00, em partida referente à 14ª edição da Supertaça “Francisco de Almeida” em andebol sénior feminino, título que marca a abertura da época’2020, a decorrer no Pavilhão Principal da Cidadela.

Tricolores ambicionam vencer a partida para resgatar título perdido na edição do ano passado
Fotografia: Kindala Manuel| Edições Novembro

Entram em campo 12 troféus, sendo dez das petrolíferas e dois das militares. Apesar de vencer somente duas, das 13 edições já disputadas, a equipa do Rio Seco é favorita ao triunfo, ante o conjunto do Eixo Viário uns furos abaixo do habitual.

Tricolores e rubro e negras entram em cena na condição de campeã da Taça de Angola e de finalista vencida respectivamente. O histórico dos jogos entre si, a par da sã rivalidade , qualificam o encontro como “duelo” de gigantes.
Os dois colossos do andebol angolano e africano prepararam detalhadamente o desafio, tendo em vista a conquista do ceptro. Por banda do Petro, Vivaldo Eduardo e pupilas ambicionam o resgate da Supertaça perdida no ano passado.
A missão afigura-se difícil, pois o grupo perdeu três activos: as laterais direita e esquerda, Aznaide Carlos e Magda Cazanga e a ponta direita Joana Costa, a militarem na Rússia e Espanha.
O Petro conta com o reforço da guarda-redes russa, Viktorya Polishikova. Questões de ordem burocrática podem condicionar a utilização da ponta esquerda de nacionalidade congolesa, Suzanne Mambou “Channelle”. Para inverter as contrariedades, os técnicos inseriram algumas jogadoras juniores. Ivete Simão, Viktorya Polishikova, Teresa Almeida “Bá”, Ríssia Oliveira, Estefânia Venâncio, Edith Bunga, Vilma Neganga, Stélvia Pascoal, Marília Quizelete “Inglesa”, Delfina Mugongo “Didi”, Natália Kamalandua e Noela Pedro são as atletas disponíveis.
Do lado contrário, Nelson Catito, que substituiu no cargo o dinamarquês Morten Soubak, tem hoje o primeiro teste diante do arqui-rival. Catito e comandadas têm as atenções viradas para a revalidação do título e, consequentemente, a conquista do terceiro troféu.
Em relação à época passada, regista-se no plantel do 1º de Agosto os regressos de atletas, antes integradas na equipa “B”. São os casos de Joelma Viegas “Cajó”, Swely Simão e Dalva Peres. A guarda-redes Helena de Sousa (a jogar no estrangeiro) e a ponta Janeth Santos (por motivos pessoais) são as ausências de vulto.
O núcleo duro, capitaneado por Albertina Kassoma, mantêm-se, onde figuram Isabel Guialo “Belinha”, Natália Bernardo, Wuta Dombaxi, Eliane Paulo, Luzia Kiala, Eneleidys Guevara, Iracelma da Silva, Helena Paulo “Leila”, Vilma da Silva, Juliana Machado, Liliana Venâncio e Cristiane Mwasessa.
Em masculinos, o encontro inicialmente marcado para hoje, foi alterado para 4 de Abril, segundo a página da Federação Angolana de andebol no Facebook. O Interclube defrontará no Namibe o Atlético local, no Pavilhão Welwitschia Mirabilis.
Nas vestes de detentor da Taça de Angola, os “polícias” às ordens de José Pereira “Kidó” têm mais hipóteses de conquistar o troféu e mais um mês para projectarem a prova.
O nível competitivo, aliado à qualidade individual e colectiva, confere ao conjunto do Inter pergaminhos para sorrir. José Pereira “Kidó” tem à disposição os seguintes jogadores: Custódio Gouveia “Bana”, Fábio Costa e Ariel Simões (guarda-redes), Cláudio Chicola, Mayomona Panzo, Chano Lopes, André Fonseca, Nestor Quinanga e Ariel Sousa (pontas), Adelino Pestana “Amarelo”, Mário Taty, Edgar Abreu e Liliano Pedro (laterais), Cláudio Lopes e José Americano (centrais), Jaroslav Aguiar, Mariano Malheiro e Leonel de Almeida (pivôs).
Alex Fernandes terá a dura missão de motivar os atletas para vitória, embora reconheça a superioridade dos adversários. A jogar diante do seu público, o Atlético do Namibe seguramente tentará contrariar os intentos da formação forasteira.

Tempo

Multimédia