Desporto

1º de Agosto inicia corrida rumo ao penta-campeonato

Honorato Silva

No centro das atenções dos seguidores do desporto angolano, o 1º de Agosto faz amanhã às 16h00, diante do Desportivo da Huíla, no Estádio Nacional 11 de Novembro, a estreia na 42ª edição do Campeonato de Futebol da I Divisão, que arrancou no fim-de-semana, com muitos casos administrativos.

Militares do Rio Seco estreiam amanhã na 42ª edição do Campeonato de Futebol da I Divisão
Fotografia: DR

Os militares do Rio Seco, orientados pelo bósnio Dragan Jovic, entram em cena na segunda jornada com o estatuto de tetra-campeões nacionais, mercê do domínio que têm exercido no futebol angolano, em particular no Girabola, nos últimos quatro anos, supremacia cujos reflexos foram sentidos no espaço competitivo continental, depois da presença nas meias-finais da Liga dos Clubes Africanos.

E o adversário de estreia dos rubro e negros dispensa apresentação. Muito pelo contrário, exige entrega máxima, para não ser surpreendido logo no início da caminhada rumo à conquista do desejado penta (quinto título consecutivo), marca exclusiva do arqui-rival Petro de Luanda. Os jogos da Supertaça mostraram ao 1º de Agosto que Desportivo da Huíla preparou Mário Soares, treinador que volta a estar ausente do banco de suplentes, por cumprir castigo, após ter sido expulso pelo árbitro António Caxala, na segunda “mão” da abertura da época 2019/20, disputada no Estádio Municipal dos Coqueiros.

Há uma semana sem competirem, por força do adiamento do desafio da primeira jornada, a pedido do Progresso Sambizanga, que registou atrasos no processo de definição do plantel, os pupilos de Jovic estão focados na conquista dos primeiros três pontos e na subida dos níveis competitivos, isso sem perderem de vista o jogo de sábado, no mesmo recinto, frente ao Kikosi Maalum cha Kuguia Magendo do Zanzibar, para a conclusão da preliminar das Afrotaças.

A equipa base montada para a abordagem da temporada assenta em Tony Cabaça; Paizo, Dani Massunguna, Bobó e Isaac; Macaia e Ibukun, Nelson da Luz, Ary Papel e Zito Luvumbo; Mabululu. Prontos a entrar, estão Natael, Mongo, Kila e Lionel Yombi, avançado camaronês contratado aos militares da Região Sul, que já sabe o que é marcar aos ex-colegas.

Na formação huilana, recheada de jovens talentos, muitos com qualidade para estarem ao serviço da Selecção Nacional, casos de Manico, Bruno, Malamba, Nuno e Milton, reina determinação em travar os detentores de todos os títulos da modalidade no país, apesar do favoritismo. Além do técnico Mário Soares, a equipa sensação da época passada, que derrotou o FC Bravos do Maquis, por 2-0, na abertura do Girabola, está privada dos préstimos do capitão Chiwe, por lesão.

 Respeito mútuo

 A disputa da Supertaça, conquistada pelo 1º de Agosto, face ao triunfo (2-0), em resposta à derrota (0-1), no reduto do Desportivo, deu aos treinadores um maior conhecimento do adversário, facto que permite montar melhor as estratégias para atingir os objectivos.

Nos rubro e negros, Ivo Traça, treinador-adjunto, disse, no lançamento do jogo, que esperam enfrentar dificuldades, a julgar pela força dos huilanos. “Se quisermos começar bem a competição, teremos de ser fortes e sérios em todos os momentos, porque não haverá facilidades nas provas em que estamos inseridos”, alertou.

Hélder Cruz falou da prontidão dos visitantes: “o capitão Chiwe saiu lesionado do último jogo. Infelizmente, a equipa médica não conseguiu recuperar o jogador. Mas estamos a nos preparar com o pensamento numa boa exibição e na discussão dos três pontos.”



Tempo

Multimédia