Desporto

1º de Agosto cai do comando com empate no Mundunduleno

António de Brito

O 1º de Agosto, tri-campeão nacional, perdeu ontem a possibilidade de recuperar a liderança do Girabola 2018/19, ao empatar sem golos frente ao FC Bravos do Maquis, no Estádio Jones Kufuna Yembe "Mundunduleno", no jogo de destaque da 13ª jornada, sendo o quarto empate fora de portas e o sexto na competição.

Fotografia: Santos Pedro | Edições Novembro

Apostados em conquistar os três pontos, os rubro e negros entraram fortes e remeteram os maquisardes à defesa. A jogar em 4-4-2, o 1º de Agosto chegava com relativa facilidade à baliza adversária, mas os seus jogadores não conseguiam finalizar as oportunidades de golo criadas.
O FC Bravos do Maquis apresentou-se em 4-3-3, sem, contudo, encontrar espaço para impor o seu futebol. O central nigeriano Yisa fez "marcação cerrada" a Chico, melhor marcador do Girabola,  razão pela qual o avançado não apareceu no jogo.
Para a equipa treinada pelo bósnio Dragan Jovic, o empate acaba por ser um resultado negativo, atendendo os objectivos na prova, que passam pela revalidação do título. Sem qualquer derrota, a formação militar já desperdiçou 18 pontos, que poderão pesar nas contas finais.
Em casa, a formação do Moxico não vence há quatro jogos, depois do último triunfo por 3-0, diante do Recreativo do Libolo. Registou  o quinto empate na condição de visitado.

Fogo de palha
Depois do empate arrancado em Luanda, frente aos militares do Rio Seco, o Sagrada Esperança caiu aos pés do Kabuscorp do Palanca, ao perder por 0-1, na cidade do Dundo. Os palanquinos estão a fazer uma excelente ponta final da primeira volta, partilhando o segundo lugar do campeonato com os tri-campeões.
No Estádio Mártires da Canhala, Recreativo da Caála e Interclube empataram sem golos, num jogo de equipas que disputam a permanência na prova. Os caalaenses não vencem há três jogos, ao passo que os polícias cumprem um jejum de oito partidas.
A formação afecta ao Ministério do Interior está a realizar uma das suas piores épocas, depois da saída de jogadores influentes para outros emblemas, por razões contratuais.
No Estádio dos Eucaliptos, Cuando Cubango FC e Progresso Sambizanga empataram a uma bola. Os anfitriões adiantaram-se no marcador, por intermédio de Mateus Kanjila, aos 46 minutos. Os sambilas restabeleceram a igualdade aos 71, por Benafa.

Petro prepara jogo com o Santa Rita do Uíge

O Petro de Luanda retoma hoje, às 9h00, no campo Osvaldo Saturnino de Oliveira “Jesus”, a preparação tendo em vista o jogo de quarta-feira, diante do Santa Rita do Uíge, para conclusão da 13ª jornada do Girabola, depois de garantir no sábado o apuramento para a fase de grupos da Taça Nelson Mandela.
No único treino do dia, o técnico Roberto Bianchi trabalha com todos os jogadores. Os titulares frente ao Stade Malien do Mali fazem preparação específica. Travados pelos “aviadores” (0-0), na ronda anterior, os tricolores do Eixo Viário pretendem regressar às vitórias.
Paulo Saraiva, treinador do Santa Rita do Uíge, antevê uma deslocação difícil à capital do país, mas promete discutir o jogo: “Respeitámos o Petro de Luanda, mas não tememos. Vamos procurar impor o nosso futebol”. Recreativo do Libolo e Académica do Lobito não jogaram no sábado, por ausência dos “estudantes” lobitangas, que alegaram dificuldades financeiras para viajar até Calulo.
Na abertura da ronda, o Desportivo da Huíla conseguiu uma importante vitória frente ao Sporting de Cabinda, por 1-0, no Estádio Municipal do Tafe. A fazer uma primeira volta digna de realce, os “militares” da Região Sul estão isolados na liderança.

Tempo

Multimédia