Desporto

1º de Agosto deita pontos em nova série de empates

Honorato Silva

Órfão de ideias, o 1º de Agosto consentiu ontem, frente ao Recreativo do Libolo, no Estádio Nacional 11 de Novembro, o segundo empa-te consecutivo (0-0), na abertura da 23ª jornada do Girabola, depois da goleada (5-0) imposta ao Kabuscorp do Palanca.

Nem a presença do criativo Ibukun consegue esconder o apagão competitivo dos militares
Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

Com as atenções viradas para o regresso da Liga dos Campeões Africanos, na qual defrontam na próxima terça-feira, em Lusaka, o Zesco United da Zâmbia, em jogo referente à terceira ronda do Grupo D, os militares do Rio Seco, orientados por Zoran Macki, colocaram-se a jeito diante da formação da vila de Calulo, que parece ganhar ânimo sob a batuta de André Macanga, antigo “capitão” dos Palancas Negras.
Nem a presença de Ibukun, no meio campo, escondeu o apagão competitivo dos bi-campeões, quase sempre sem saber o que fazer do esférico, pecha que transforma a posse de bola imposta aos adversários um autêntico canhão de pólvora seca. Nos últimos 30 metros os rubros e negros têm sido pouco efectivos.
Melono, irmão de Gelson Dala, promovido dos juvenis para os seniores, pelos atributos de goleador, ainda dinamizou as transições ofensivas do 1º de Agosto, mas sem a profundidade que se impunha, porque o Libolo, sem adoptar uma postura ultra-defensiva, conseguiu limitar as acções dos donos da casa.
Muito previsível na saída de bola, com recurso, de forma recorrente, às incursões pelo flanco direito, a equipa de Zoran Macki foi um obstáculo fácil de transpor para os pupilos de Macanga, que espreitaram algumas situações para fazer mossa no último reduto dos detentores do título.

Passo encalhado
Poucas foram as situações de real perigo. Aos 47 minutos, Jaredi teve nos pés a oportunidade mais clara de golo, mas se deixou anteci-par pelo guarda-redes Tony Cabaça, que com arrojo evitou males maiores. Depois da expulsão de Guelor, 65 minutos, por alegada agressão, Ibukun rematou para as nuvens, aos 78, quando teve tempo de escolher um canto e fazer o golo.
O empate, décimo na competição, deixa o 1º de Agosto igualado ao Petro de Luanda, 40 pontos, com o Interclube à espreita. Em caso de vitória sábado, na recepção  à Académica do Lobito, os polícias, terceiros classificado com 37, podem formar, com os arquirivais, um trio de líderes do campeonato.
Enquanto o empate puxou o Recreativo do Libolo para o oitavo lugar, com 26 pontos, os militares ficaram mais uma vez aquém da qualidade competitiva exigida a um concorrente com os seus pergaminhos. A equipa dirigida por Macki fica sempre no desejo.
A jornada inscreve ainda os jogos Sagrada Esperança-FC Bravos do Maquis, Domant FC-Sporting de Cabinda, Desportivo da Huíla-Kabuscorp do Palanca, Recreativo da Caála-Progresso Sambizanga e Cuando Cubango FC-1º de Maio de Benguela. Folga o Petro de Luanda.

Tempo

Multimédia