Desporto

Amadores cicloturistas preparam celebração

Em fase de preparação do seu segundo Grande Prémio, agendado para os dias 20 e 21 de Janeiro, em Luanda, a equipa Amadores de Cicloturismo (ACT) viu-se obrigada a partir o pelotão em três grupos equilibrados, de modo a responder ao interesse dos integrantes da agremiação em disputar a prova.

Concorrência cria expectativa entre os integrantes dos Amadores de Cicloturismo
Fotografia: Contreiras Pipas | Edições Novembro


Até ontem estavam inscritos 27 atletas, distribuídos da seguinte forma: João Cavaleiro, Olavo Fernandes, José Gonçalves, João Silva, Ronaldo Paul, Constantino Carlos, Eurico Silva, Luís Tenrreiro e Francisco França (Equipa A), José Janota, Fernando Lemos, Mariano Lukamba, Joaqiom Santos, Joerg Nuehrman, Arsénio Liumba, António Leite, Marcelino Aug BB2 e José Marinho (B), António Quinta, Yuri Xavier, Honorato Silva, Décio Cardoso, Aparício Marinho, Rui Júnior, António Graça, José Silva e Rui de Sousa (C).
Os treinos colectivos são realizados aos sábados na Centralidade do Kilamba, numa sessão de duas horas, com média de velocidade de 34/36 kms/hora, e aos domingos, numa tirada de 88 quilómetros, com partida e chegada no KM 30 da Estrada Nacional 100, tendo como ponto de retorno a ponte da Barra do Kwanza.
Uma das principais forças do ciclismo luandense na categoria dos Master, depois do BAI/Sicasal/Petro de Luanda, que domina nos Elite, numa disputa nacional com a Jair Transportes de Benguela, os ACT, agora com a concorrência da Orped Angola Link Connection, capitaneada por Bruno Casimiro, promovem uma espécie de disputa interna para elevar o nível competitivo dos ciclistas.
João Cavaleiro, Olavo Fernandes e José Gonçalves são os chefes de fila do pelotão coordenado por António Quinta, num grupo heterogéneo formado por profissionais de várias áreas de actividade, entre Medicina, Direito, Jornalismo e Economia.

Estilo de vida
Criado com o propósito de promover a saúde e estilo de vida saudável, no combate contra a obesidade e o sedentarismo, o grupo ACT completa o terceiro aniversário de existência, a ser comemorado numa tirada de meio fundo de 90 km, do Autódromo Internacional de Luanda em direcção à Barra do Kwanza e regresso ao ponto de partida, isso no dia 20 de Janeiro, enquanto no dia 21 vai ser cumprida uma prova de circuito fechado de 60 km, no Kilamba.
A equipa do Petro de Luanda é a grande candidata à conquista do topo do pódio. Os tricolores disputam a partir de hoje, até dia 17 do corrente, a 14ª edição do Tour do Madagáscar a convite da União Ciclística Internacional (UCI), com os atletas Dário António (líder), Cruz Tuto, Mário de Carvalho, Bruno Araújo, Rui Fernandes, estreante além-fronteiras e Gabriel Cole (gregários), sob o comando técnico de Carlos Araújo, numa delegação chefiada pelo vice-presidente Artur Casimiro Barros.
A Orped promete ombrear com os petrolíferos. Bruno Casimiro, campeão nacional de 2004, retirado depois da modalidade por razões académicas, compete nos Elite com Fernando José e Nazaré Raimundo, ao passo que nos Master 30 aposta em Márcio Gourgel, Milton Xavier, Wagner Sousa e Carlos Faria. Gervásio Maltez é o mecânico.

Tempo

Multimédia