Desporto

Angola procura final inédita contra Argentina na Taça das Nações

A Selecção Nacional procura o passe para a final do Torneio das Nações quando defrontar a Argentina hoje, às16h00, no Pavilhão Gimnodesportivo de Montreux, prova de antecâmara ao Mundial de Barcelona, em Junho próximo.

Fotografia: DR

Ontem,Adilson Diogo “Pi”, uma das promessas do grupo às ordens do seleccionador nacional, Fernando Fallé, ganhou a confiança do técnico e entrou no cinco inicial, contra a Suíça.
O golo madrugador da Selecção Nacional foi apontado à passagem do minuto dois, por Anderson Silva “Nery”, num toque subtil, depois de um passe de João Pinto. A Suíça procurava defender-se como podia das investidas sucessivas dos campeões africanos.
Os anfitriões entraram determinados em encerrar a fase de grupos de forma condigna. André Centeno caiu na grande área e pediu falta, mas os árbitros não anuíram, e no contra-ataque o avançado suíço Lorenzo Rui bateu Francisco Veludo, pela primeira vez, e restabeleceu a igualdade no marcador.
Contrariamente ao jogo de quinta-feira, contra Portugal, em alguns momentos os jogadores angolanos abdicaram do jogo colectivo. As incursões individuais não surtiam o efeito desejado, pois os remates terminavam prensados na cortina defensiva contrária.
A meio do primeiro tempo, João Pinto anotou o segundo tento do “cinco nacional”, para o gáudio dos adeptos angolanos residentes na Suíça, que ontem compareceram em número considerável. Mas a alegria durou pouco, poisos suíços jogavam pela dignidade.
Gian Rettenmundo restabeleceu a igualdade um minutos depois. Para colmatar a carência de jogadores com uma técnica individual muito apurada, a equipa da casa optava por circular a bola, ao passo que os angolanos passaram a ter mais cautelas defensivas.
A dois minutos do intervalo, o desafio encontrava-se empatado (3-3) e foi João Pinto a desfazer a igualdade (4-3), para alívio de Fernando Fallé. A consistência defensiva e ofensiva da Suíça não mais existiu na segunda parte.
João Pinto, Big, André Centeno (2) e Nery (2) garantiram o segundo triunfo de Angola em Montreux. A Selecção Nacional terminou a fase de grupos com seis pontos, fruto de duas vitórias e uma derrota. Marcou 17 golos, sofreu 11 sofridos, com um saldo positivo de seis.
A presença do “cinco nacional” na meia-final deveu-se ao empate a quatro bolas no jogo entre Portugal e Espanha, partida que encerrou a fase de grupos, pautada pelo equlíbrio.

Tempo

Multimédia