Desporto

Angola sobe um degrau no Mundial de andebol

Silva Cacuti / Copenhaga

A Selecção Nacional trocou o 24º e último lugar da classificação anterior pelo 23ª lugar, mercê da vitória por 32-29, ontem diante da similar do Japão, no Mundial Sénior Masculino de andebol, organizado pela Alemanha e Dinamarca.

Combinado angolano escapou da “lanterna vermelha” ao derrotar similar nipónica
Fotografia: DR

A vitória angolana começou a desenhar-se com a vantagem ao intervalo (15-14), num jogo sem história, marcado pelo aparente regresso da alegria de jogar, segundo o seleccionador angolano, Filipe Cruz.
A equipa esteve mais calculista no momento de atirar à baliza. Produziu jogadas de bom recorte técnico, que arrancaram aplausos da assistência. Nem por isso deixou de ser um jogo equilibrado, próprio de duas equipas com os piores índices da competição. O resultado ao intervalo demonstra-o bem.
A segunda parte foi melhor para a equipa angolana. Temporizou melhor o ataque, ganhou consciência da sua superioridade, ante um Japão perdulário e, decorridos sete minutos, alcançou os primeiros tês golos de vantagem sobre a formação asiática (20-17). Não parou de imprimir velocidade ao jogo, até que esticou para cinco tentos de diferença. Mas a seguir a equipa entrou em “modo de gestão”. O técnico Filipe Cruz ainda usou o “desconto de tempo”, provavelmente para confortar  jogadores.
Angola teve uma percentagem geral de 71 por cento, com a particularidade de ter convertido os 14 livres dos sete metros de que dispôs.
Com oito golos, Declek Sibo foi o melhor marcador. Romé Hebo, que voltou a ser distinguido MVP (jogador mais valioso), e Adelino Pestana apontaram sete tentos cada um.  “Não percebo estes jogadores”, exclamou de alegria o treinador angolano, na conferência de imprensa.
“Fizemos hoje uma grande exibição. Cumprimos o objectivo e estamos satisfeitos”, concluiu. A Selecção Nacional tem o regresso ao país previsto para esta quarta-feira.

Tempo

Multimédia