Desporto

Angolanas e chinesas disputam posições

Anaximandro Magalhães

Angola começa a discutir hoje, a partir das 10h00, diante da China, as classificativas do nono ao 16º lugar do Campeonato do Mundo Sub-17 feminino de basquetebol, prova a disputar-se até domingo na cidade de Minsk, Bielorrússia.

Fotografia: DR

Terminado o sonho de conquistar uma vitória no Grupo D da fase preliminar, tendo perdido os três jogos disputados diante da Austrália, por 43-81, Canadá, 36-66 e Letónia, 47-68, a seleccionadora nacional, Elisa Pires redefiniu os objectivos.
Ocupar a melhor posição na tabela de classificação final é a meta delineada. Quarta-feira, em desafio referente aos oitavos-de-final o “cinco” nacional voltou a perder de forma copiosa, por 48-88, frente à Hungria.
Contrariamente a Angola, a China conseguiu vencer um encontro na primeira fase, ante o Mali, por 69-49. Na segunda e terceira jornadas, as chinesas foram vergadas pela Itália (57-72) e Estados Unidos (50-107). Nos oitavos de final, em jogo que opôs duas selecções asiáticas, a China perdeu para o Japão (73-82).
Pelos números, antevê-se grandes dificuldades do combinado angolano para materializar o desiderato. E a atestar as eventuais contrariedades à Selecção Nacional estão os percentuais. Nos lançamentos de dois pontos, as comandadas de Elisa Pires têm um percentual de 25 contra 39,9 por cento das opositoras.
Nos arremessos de três pontos,  o combinado angolano tem 20,4 por cento e as chinesas 24,7, ao passo que nos lances livres Cácia António e companheiras conseguiram até ao momento 55,9 contra 67,6 por cento das adversárias.
Em Minsk estão: Sara Caetano, Conceição Caetano, Cácia António, Alexia Dizeco, Helena Pululo, Tcheuzia Gonçalves, Rafaela Henriques, Nara André, Júlia Francisco, Nelma Cunha, Cristina Lourenço, Maria Quipaca e Rafaela Henriques.

Tempo

Multimédia