Desporto

Angolanos do All Ahly garantem claque improvisada

A influência dos angolanos Geraldo, Flávio e Gilberto (GFG) constitui garantia de apoio aos Palancas Negras por parte de adeptos da cidade de Suez, para que tenham um desempenho positivo no CAN'2019, que decorre no Egipto

Fotografia: DR

O facto foi constatado pela Angop nas ruas e centros comerciais da sede do Grupo-E, onde a Selecção Nacional disputa as duas primeiras jornadas com as similares da Tunísia e Mali. Muitos declaram-se rendidos aos feitos do actual e antigos craques angolanos em terras dos faraós.
Geraldo actua no All Ahly do Egipto, onde também já jogaram Flávio Amado, Gilberto e Avelino Lopes, que fizeram igualmente parte dos Palancas Negras.
Na edilidade marinha, de majestosas construções, que dista mais de 100 quilómetros da capital egípcia, Cairo, engalanada, principalmente, com as bandeiras dos países participantes e outros "outdoors" da prova, os cidadãos quando se apercebem da presença de um angolano, demonstram conhecer muito bem o trio.
Uma boa parte dos admiradores, mesmo crianças e jovens, expressa grande admiração e simpatia pelos futebolistas, não hesitando por conta disso em transferir o seu incondicional apoio aos Palancas, já no desafio de hoje diante das Águias de Cartago, apesar de pertencer igualmente à região do Magrebe.
Apesar de já estar fora dos relvados, na condição de jogador, Flávio Amado, actualmente membro da equipa técnica do Petro de Luanda, sem desprimor para os restantes, continua a atrair e a merecer maior referência dos adeptos da cidade de Suez e egípcios no geral.
Até sábado o estádio de Suez, que alberga mais de 20 mil espectadores, ainda estava a beneficiar de alguns retoques no embelezamento e regista um forte aparato de protecção e segurança, para que o evento desportivo nestas paragens ocorra sem sobressaltos e dentro da normalidade.
O processo de credenciamento de entidades envolvidas, incluindo os profissionais da comunicação social, também se processa nas mesmas infra-estruturas.

Suez apoia Palancas Negras

Bandeiras por tudo quanto é canto, jovens já com as famosas barulhentas "vuvuzelas" e um povo ávido pelo futebol foi o que se constatou nas primeiras horas de hoje, nas ruas da cidade de Suez, palco dos jogos do grupo E, do CAN2019, que decorre no Egipto.
Contrariamente ao habitual, a cidade acordou com as ruas cheias, com movimentações constantes dos peões e automobilistas, situação só vista em período nocturno.
A Angop refere que, os jornalistas foram várias questionados sobre o jogo Angola-Tunísia, que começa às 18h, inclusive, foram convidados para pose em sessões de fotografias.
Conversas sobre o futebol dominam o ambiente nos cafés abertos mais cedo e as bandeiras das 24 nações espalhadas pelas ruas deixam antever casa cheia nos dois jogos desta noite.
A cidade de Suez, uma localidade portuária, está localizada no nordeste do Egipto, numa extensão de 250,4 quilómetros quadrados. A população estima-se em 744 mil e 189 habitantes (dados de 2018).
O estádio, com nome idêntico ao da cidade (Suez), é um recinto multiusos construído em 1990, com capacidade para 27 mil espectadores, menos 23 mil que o palco oficial do combinado nacional, o 11 de Novembro, em Luanda.
O jogo entre Angola e a Tunísia acontece às 18 horas, e às 21h00 dá-se o confronto entre Mali-Mauritânia.

Tempo

Multimédia