Desporto

Angolanos subiram ao pódio na Namíbia

Armindo Pereira | Windhoek

Três pilotos angolanos subiram ao pódio da prova de automobilismo, disputada este final de semana, no Circuito Tony Rust Race Track, na Namíbia, evento que assinalou o 60º aniversário de existência do Windhoek Motor Ckub.

Fotografia: DR

Mário Ferreira, ao volante de um Radical, e Luís Fernandes (Magane Honda) ocuparam o primeiro e segundo lugares, respectivamente na Classe B, ao passo que o namibiano Zachary Martin foi terceiro. O primeiro e único concorrente da classe A foi o piloto da casa, Allan Martin.
O também angolano Alexandre Deysel arrebatou a medalha de prata, na categoria D, e  mostrou-se satisfeito com o desempenho do seu Peugeot 106, ao cabo das três mangas. Robbie Reschke foi o primeiro colocado, e o seu compatriota Matthew Strydom ficou no último lugar do pódio.    
No final da corrida, em declarações ao Jornal de Angola, Ivan Santos, presidente da Associação Provincial de Desportos Motorizados da Huíla, que recebeu o convite formal dos clubes locais, considerou que os laços entre pilotos de Angola e da Namíbia ficam agora mais reforçados.
“Há muitos anos que tentamos fazer esta aproximação, para que pilotos dos dois países pudessem fazer parte de um evento de género. Nos últimos contactos feitos, ficou no ar a possibilidade de cá virmos e assim aconteceu”, revelou Ivan Santos.
De acordo com aquele responsável, através de Alexandre Deysel, que reside em Windhoek, foi fácil fazer esta ponte que resultou no convite do Windhoek Motor Club.
Sobre a prestação dos angolanos, Ivan Santos diz ter ficado surpreendido, por tratar-se de um traçado diferente, “aos que estamos habituados a correr” e acredita que todos saíram com alguma experiência.
Problemas mecânicos estiveram na base das prestações menos vistosas de Sandro Dias “Riquito”, Carlos Ferreira e Edwin Santos. A caravana angolana esteve composta por aproximadamente 25 pessoas. Em representação da FADM esteve o seu secretário-geral, Zaza Rodrigues.

 

Tempo

Multimédia