Desporto

Associação pensa realizar provincial de mini basket

Armindo Pereira

A Associação Provincial de Basquetebol de Luanda (APBL) tenciona realizar na próxima época a primeira edição do campeonato de mini basket, em ambas as classes,  com representação dos principais clubes da capital, apurou o Jornal de Angola, junto do presidente da instituição, Carlos Júlio.  

Associação de Luanda lamenta falta de recintos desportivos para realização de provas
Fotografia: Agostinho Narciso| Edições Novembro

O facto foi revelado, ontem, no final do festival de mini basket, que decorreu  na zona de Luanda Sul, em quatro campos do município de Viana, onde estiveram reunidas quatrocentas crianças afectas ao Interclube, 1º de Agosto, Petro de Luanda, Escorpiões da Boa Fé, Desportivo Kwanza, Libolo e Independente local.
Segundo Carlos Júlio, a associação tenciona realizar a prova nos períodos em que se registarem pausas pedagógicas no ensino geral. Por outro lado, o local para esta pretensão ainda é indefinido, mas a associação já tem em vista as quadras do Centro de Produção de Camama da TPA.   
“Possui condições excelentes. Pude testemunhar isso aquando da realização do torneio da emissora. Os quatro campos despertaram-nos o interesse de fazer acontecer a prova naquele recinto”, revelou o dirigente.
As principais dificuldades da APBL na materialização  deste  projecto de massificação da bola ao cesto, ainda de acordo com o presidente do organismo, prende-se com a falta de recintos, sobretudo fora dos centros urbanos. Durante quatro horas, os petizes de distintas formações em Sub-10 e Sub-12, além de competir, brincaram e trocaram experiências, apoiados pelos poucos moradores das redondezas. 

Apoio necessário

O organismo que tutela a modalidade na capital bate-se também com a falta de apoio empresarial. O seu presidente de direcção revelou, ao Jornal de Angola, que está a decorrer o processo de negociação com uma instituição bancária, para assegurar parte da logística nas próximas provas.
“O número de crianças é considerável. Há a necessidade de termos aqui o Instituto Nacional de Emergências Médicas (INEMA), bem como agentes da Ordem Pública, mas não foi possível porque tivemos de dar prioridade à merenda dos miúdos. Isso para dizer, que sem verbas não se consegue fazer nada”, disse.     
Carlos Júlio apelou, uma vez mais, ao INEMA no sentido de juntar-se às próximas actividades, tal como tem acontecido em eventos anteriores. Quanto à actividade realizada ontem, o responsável destacou o ambiente e esperava ter uma maior assistência, sobretudo de encarregados de educação.
“As quadras não apresentam as melhores condições, mas as crianças têm uma capacidade de superar isso com facilidade. Esperava maior presença dos pais, porque a nossa perspectiva de expansão visa, em primeira instância, motivar os progenitores a trazerem os  filhos, e deste modo despertar neles o interesse”, analisou.
Segundo Carlos Júlio, a actividade foi abraçada pela Administração Municipal de Viana. À reportagem do Jornal de Angola saltou à vista a ausência de um representante daquela entidade, nem da Direcção Municipal dos Desportos.
Questionado sobre o facto, o dirigente cogitou a possibilidade de a informação não ter  fluído dentro das respectivas instituições. “Pode ter havido falha da comunicação, mas acreditamos que na próxima edição seja diferente”. 
Das provas agendadas pela associação, resta o torneio de mini basket para assinalar o Dia da Independência Nacional, a ter lugar na Marginal de Luanda, e o festival anual em parceria com o Clube 1º de Agosto, marcado para Dezembro. A zona de Luanda Sul volta a acolher o festival no próximo ano, entre os meses de Junho e Agosto.

 

Tempo

Multimédia