Desporto

Basquetebol: Presidente da Associação solicita moratória ao Minjud

Melo Clemente

O presidente cessante da Associação Provincial de Basquetebol de Luanda (APBL), Carlos Júlio, vai endereçar, nos próximos dias, uma carta à Direcção Nacional dos Desportos afecta ao Ministério da Juventude e Desportos (Minjud) a solicitar uma moratória a fim de realizar as eleições para o ciclo olímpico 2020/24 fora dos prazos estabelecidos pelo órgão que tutela o desporto no país.

Ex-árbitro de categoria internacional, Carlos Júlio, acredita num desfecho favorável
Fotografia: Agostinho Narcíso | Edições Novembro

A decisão saiu da Assembleia-Geral Ordinária, realizada sábado, numa das salas de reuniões da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), sita no Complexo da Cidadela Desportiva, em Luanda.

De acordo com Carlos Júlio, que vai se recandidatar para mais um mandato de quatro anos à frente dos destinos da APBL, apesar de existir uma directriz do Ministério que estabelece prazos para os clubes, associações e federações nacionais realizarem os pleitos eleitorais, a instituição desportiva pretende agir em conformidade com os Estatutos.

“Infelizmente, tivemos de marcar duas datas prováveis para a realização do pleito eleitoral. A primeira data faz alusão ao dia 1 de Agosto, ao passo que a segunda está prevista para 29 do mesmo mês. Compreendemos os prazos estabelecidos pelo Ministério, mas, também, não devemos atropelar os nossos Estatutos que estabelecem um prazo de 120 dias para serem preparadas as eleições”, assegurou.

O antigo juiz de categoria internacional, com várias participações em campeonatos do mundo e africanos, está crente no parecer favorável do Ministério da Juventude e Desportos.

“Vamos apresentar nesta missiva os nossos argumentos de razão e acredito que vamos ter um respaldo favorável para que possamos realizar as eleições fora dos prazos estabelecidos pelo Minjud”, disse com esperança.

A directriz do Ministério da Juventude e Desportos estabelece que os clubes devem realizar as eleições até ao final do mês corrente, as associações até no fim de Julho próximo e as federações nacionais devem regularizar os processos até final de Setembro.

Por outro lado, Carlos Júlio fez saber que a reunião magna da APBL, que contou com onze dos dezassete filiados, ocorreu dentro do espírito democrático. Os associados aprovaram com uma "ligeira emenda" os relatórios de actividades e de contas do exercício de 2019, os novos Estatutos da Associação Provincial de Basquetebol de Luanda e elegeram a Comissão Eleitoral. Um senão está relacionado com a não aprovação da acta anterior. A pessoa responsável pela apresentação não se fez presente, segundo o dirigente.

A Assembleia-Geral não contou com as presenças dos representantes do Petro de Luanda, CFDK, Grupo Desportivo O Maculusso, Sequele, Grupo Desportivo de Viana e Kilamba.


Comissão aguarda resposta do Ministério

A elaboração do calendário eleitoral fica dependente do pronunciamento do Ministério da Juventude e Desportos (Minjud) face à missiva que vai receber da Associação Provincial de Basquetebol de Luanda. A revelação foi feita por António Celestino Sofrimento Manuel, coordenador da Comissão Eleitoral.

“A elaboração do calendário eleitoral fica dependente da resposta que vamos obter do Minjud em função da carta que a Associação vai mandar, na qual propõe a realização das eleições no dia 1 ou 29 de Agosto”, asseverou o antigo secretário-geral da Federação Angolana de Basquetebol (FAB).

António Celestino Sofrimento Manuel, que integra igualmente à Comissão de Gestão “ad hoc” da Federação Angolana da modalidade, agradece a confiança dos filiados da APBL.

“Agradeço a confiança dos filiados e devo dizer que vamos procurar fazer o nosso melhor para que o acto seja realizado com a maior transparência”, prometeu.

Além de António Celestino Sofrimento Manuel, integram à Comissão Eleitoral Amaro Regino e Antónia Paula Martins Fuabana.

Tempo

Multimédia