Desporto

ASA e Marinha decidem amanhã passagem às “meias”

Armindo Pereira

Atlético Sport Aviação (ASA) e Desportivo da Marinha jogam hoje, às 16h00, no Pavilhão Multiusos do Kilamba, pela última vaga dos playoffs da meia-final da 41ª edição do Campeonato Nacional sénior masculino de basquetebol.

Triunfo por 103-64, dos comandados de Walter Costa abre boas perspectivas
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

As duas equipas estão empatadas a uma vitória para cada lado. O emparceiramento dos quartos-de-final coloca frente-a- frente o quarto classificado ao quinto da fase regular do nacional, dado que se traduz no equilíbrio patenteado até aqui, embora os aviadores estejam a atravessar um momento menos bom.
Carlos Dinis aproveitou o dia de ontem para recuperar a equipa apesar de considerar estar abaixo de forma pelo facto de não cumprir integralmente com os programas de preparação, situação que, segundo o técnico, foi bem aproveitada pelo adversário.
A julgar pelas declarações do técnico aviador, estão identificados os aspectos a melhorar na partida de logo mais, sobretudo a qualidade defensiva onde cada um dos contendores está proibido de perder sob pena de comprometer as metas traçadas no início da época.
Paralelamente à vertente táctica, o plantel precisa de trabalhar a vertente psicológica. A desmotivação no seio da equipa é por demais evidente. Os salários em atraso estão por detrás desta situação. Resta saber qual será a postura do ASA neste jogo decisivo, se forem levadas em conta estas condicionantes.
De acordo com o director técnico da turma do Aeroporto, Mário Ferreira, esforços estão a ser envidados para encontrar patrocinadores para amortizar parte da dívida com a equipa.
Por outro lado, a Marinha entra moralizada para este encontro depois de igualar a eliminatória. Um dos objectivos da equipa satélite do 1º de Agosto é igualar ou melhorar a quarta prestação alcançada na época transacta.
No primeiro desafio, disputado no Kilamba, a turma de Carlos Dinis venceu os marinheiros por um escasso ponto (91-90) o que fazia antever uma segunda partida igualmente equilibrada, no Pavilhão Victorino Cunha, reduto da equipa orientada por Walter Costa, mas assim não aconteceu.
Houve um domínio absoluto da Marinha, ao longo dos quatro períodos, tendo superado o ASA, por expressivos 103-64. Mais fortes e determinados, os donos da casa venceram o quarto inaugural, por 30-19 e saiu com vantagem de 56-34 ao intervalo.
Na etapa complementar os militares voltaram a mandar no desafio, ante um ASA pouco determinado e sem capacidade competitiva para acompanhar o ritmo dos anfitriões e voltaram a perder no terceiro quarto, por 64-41. Na recta final, a Marinha teve apenas de confirmar a superioridade.
Petro de Luanda e Interclube vão disputar a meia-final do nacional, depois de superarem os respectivos adversários, no playoff, a melhor de três. Os tricolores venceram pela segunda vez o Vila Clotilde, desta, por 86-54, ao passo que os “polícias” triunfaram, por 77-66, sobre a Lusíada.
De igual modo, o 1º de Agosto, detentor do título, derrotou o Helmarc, mas por duas faltas de comparência e aguarda pelo vencedor do ASA-Marinha. As meias-finais serão jogadas, igualmente no sistema de playoff, à melhor de cinco partidas. A final é jogada à melhor de sete encontros.

Tempo

Multimédia