Desporto

Candidatos têm adversários teoricamente “acessíveis”

Anaximandro Magalhães

1º de Agosto e Petro de Luanda são das quatro equipas candidatas à conquista do título de campeão da 40ª edição do Campeonato Nacional sénior masculino de basquetebol, Unitel Basket, as que defrontam adversários teoricamente acessíveis nos quartos-de-final, a melhor de três partidas, o que pode facilitar a presença de ambos nas meias-finais dos play-off.

Equipa do Rio Seco foi mais consistente durante a fase regular da prova ao perder apenas duas vezes em trinta e seis jogos
Fotografia: M. Machangongo| Edições Novembro

Os militares do Rio Seco discutem a qualificação, agendada para os dias 8, 10 e 12 do corrente, diante da formação do Helmarc Academia, às 18h00, no Pavilhão Victorino Cunha. Por sua vez, os petrolíferos, à mesma hora, dão início ao seu percurso frente à Universidade Lusíada, no Multiusos do Kilamba. O desaire sofrido pelos tricolores do Eixo Viário, por 101-110, eleva o es-pírito de alerta, apesar de triunfos como estes serem esporádicos.
Sport Libolo e Benfica e Interclube, os outros dois postulantes ao ceptro, não se po-dem gabar da “mesma sorte” por terem feito pouco por merecer durante a disputa da fase regular, razão pela qual não terão ao seu dispor concorrentes mais modestos.
Desportivo da Marinha e ASA são os oponentes dos dois assumidos pretendentes ao título, da prova mais mediática do calendário de competições da Federação Angolana de Basquetebol (FAB).
Sem registo de qualquer derrota nas quatro voltas ante os marinheiros liderados por Walter Costa, as “águias de Calulo”, orientadas por Raul Duarte, chegam ao jogo com o estatuto de equipa mais capacitada para passar à outra fase do nacional maior da bola ao cesto.
Neste particular, polícias, comandados por Manuel Sousa “Necas”, e aviadores, às ordens de Carlos Dinis, repartem o favoritismo de forma equitativa, pois ambas dispõem de um naipe de jogadores com qualidade semelhante.
O recente triunfo, por 82-79, em desafio pontuável para a nona e última jornada da quarta jornada do campeonato eleva cada vez mais o moral de Dinis e pupilos.
A formação do aeroporto tem sido um “osso duro de roer” para os seus opositores. As partidas estão agendadas para o mesmo horário das demais, no Pavilhão Dream Space, reduto do Libolo, e 28 de Fevereiro, do Interclube.

1º de Agosto arrasador 

O 1º de Agosto foi, ao somar 70 dos 72 pontos, a equipa mais eficaz da etapa regular do Campeonato Nacional. Em 36 jogos, os rubro e negros venceram 34 e perderam dois. Os pupilos de Macedo marcaram 3730 pontos, 134 pontos por desafio. Felizardo Ambrósio “Miller”, Eduar-do Mingas, Armando Costa, Islando Manuel, Manny Quezada, Hermenegildo Santos, Edson Ndoniema e companheiros sofreram no total 2661, tendo consentido 95,7 pontos por encontro. No cesto average os agostinos somam 1069 pontos.
Apesar de ocuparem a segunda posição na tabela classificativa, com 65 pontos, resultantes de 29 triunfos e sete desaires, os tricolores sob batuta de Lazare Adingono sofreram no geral mais pontos (2657) em relação ao terceiro classificado. Mas, no ataque o Petro converteu mais pontos(3275), comparativamente ao Sport Libolo e Benfica.
Os calulenses marcaram 3261 e sofreram 2568. Em 36 desafios venceram 27 e perderam nove.
O Interclube foi quarto com 60 pontos, acumulando 24 vitórias e 12 derrotas, 2987 pontos encestados e 2639 sofridos.  Estreante nestas lides, o Crisgunza, equipa de Benguela, foi a única sem qualquer vitória no campeonato, somando 35 pontos. Orientados por Manuel Silva “Pipas”, antigo praticante da modalidade, os benguelen-ses marcaram 2249 (80,9 de média por jogo). Defensivamente a equipa sofreu 3175 (114, 3 pontos por partida).
Vila Clotilde e Crisgunza são as duas equipas que descem de divisão. Para regressar ao convívio dos gigantes, ambas são obrigadas a disputar o campeonato da segunda divisão. 

Preparação das equipas

As equipas envolvidas nesta etapa do campeonato aprimoram nos respectivos campos, a vertente técnica e táctica, com particular incidência para os ataques cinco contra cinco, com circulação de bola rápida com dois a três dribles.
Movimentação do esférico entre os três sectores, passe, bloqueio, desmarcação, e lançamentos são algumas das recomendações deixadas pelos técnicos que têm sido bastante interventivos em relação ao posicionamento táctico dos seus atletas.
Antes, os atletas ficam a cargo dos preparadores, para potenciamento dos índices físicos. Força, velocidade, re-sistência, coordenação moto-ra, flexibilidade e corridas são alguns dos pormenores a serem exercitados.


Tempo

Multimédia