Desporto

Carlos Morais protagoniza feito insólito

Um caso insólito marcou a disputa dos quartos-de-final. A principal figura da Selecção Nacional, o extremo Carlos Morais, 1,93 metros, marcou no jogo apenas um ponto, em 24 minutos e 47 segundos.

Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro | Túnis

O ponto foi convertido a 1 minuto e 42 segundos para o final do jogo, quando Angola perdia por 56-62, para o Senegal. O único “dígito” registado a seu favor  foi mercê de um lance livre, a cobrar falta anti-desportiva assinalada a um jogador senegalês.
Em cinco tentativas de lançamento triplo, o jogador, campeão pelo  Benfica de Lisboa, e eleito Melhor Jogador (MVP) da liga portuguesa, não converteu uma única.
Olímpio Cipriano, outras das figuras de realce de Angola, não foi além dos seis pontos, em 18 minutos e 38 segundos.
O extremo-poste Leonel Paulo foi, contra todas as expectativas, o que mais se notabilizou, ao converter 17 pontos, em 22 minutos e 39 segundos. No final do primeiro quarto, em cinco minutos e 39 segundos, o sub-capitão da equipa totalizava já oito pontos na sua conta pessoal.                  

Tempo

Multimédia