Desporto

Gigantes jogam torneio por causa filantrópica

Anaximandro Magalhães |

1.º de Agosto e Interclube abrem hoje às 16h00, no Pavilhão Multiusos do Kilamba, a disputa da I edição do Torneio da FESA em basquetebol sénior masculino, cuja final é jogada amanhã. Duas horas mais tarde, no mesmo recinto, Recreativo do Libolo e Petro de Luanda dão sequência à jornada inaugural.

Militares do Rio Seco procuram repetir o bom desempenho assinado na Taça Victorino Cunha
Fotografia: José Cola | Edições Novembro

Os desafios, envolvendo as quatro melhores equipas do país reeditam as partidas da 8.ª edição do Torneio Victorino Cunha, disputadas em Setembro deste ano.
Vergados por 78-95, os polícias às ordens do português Alberto Babo vão procurar frente aos militares do Rio Seco, liderados pelo angolano Paulo Macedo redimir-se do desaire.
Sem poder contar com os préstimos do base Hermenegildo Santos e do poste Jone Pedro, os rubros e negros pretendem manter a série interna de três vitórias sobre os rivais directos no despique pela conquista do título das principais provas do calendário da Federação, com destaque para o Campeonato Nacional, Unitel-Basket.
Com as entradas de Leandro Conceição e Eduardo Mingas, nomes mais sonantes dos quatro reforços contratados para esta época,  com a continuidade de Edson Ndoniema, Islando Manuel, Hermenegildo Santos, Armando Costa, Mohamed Malick Cissé, Felizardo Ambrósio, Jone Pedro, dentre outros, o 1º de Agosto é favorito a novo triunfo.

Motivação extra

Moralizado pela qualificação para a fase final da Taça dos Clubes Campeões Africanos, a decorrer em Dezembro em Túnis, Tunísia, o Interclube vai procurar primar pela concentração defensiva e manter os níveis de eficácia próximos da excelência.
Fidel Cabita, Paulo Santana, Egídio Ventura, Adilson Ramos, Alexandre Jungo, José Salvador e demais companheiros são obrigados, se quiserem ganhar, a fazer diferente do demonstrado no encontro anterior, no qual desmoronaram no terceiro e quarto períodos, depois de terem feito uma primeira parte prometedora.
Na outra partida, libolenses e petrolíferos voltam a reeditar a final dos “play-off” a melhor de sete partidas, referente à disputa da 39.ª edição do Campeonato Nacional.
Vergados na série por quatro a zero, os tricolores às ordens do camaronês  Lazare Adingono desforraram-se no Victorino Cunha, por 76-72, mesmo sem o extremo Gerson Gonçalves “Lukeny” e o extremo-poste Leonel Paulo, ambos lesionados.
Childe Dundão, Cley Cabanga, Rafael Silva, Aboubakar Gakou, Joaquim Pedro “Quinzinho”, José António, aliada à maior capacidade de pautar o jogo de Domingos Bonifácio, Edmir Lucas, André Miguel (ex-Interclube) e Sekounda Conde podem voltar a surpreender.
Por sua vez, o Libolo, clube cuja nova designação, Sport Libolo e Benfica ainda não foi oficializada, chega, sob a batuta do técnico angolano Raul Duarte, determinado a fazer diferente.
A permanência no plantel de jogadores influentes, caso dos internacionais angolanos Olímpio Cipriano, Milton Barros, Roberto Fortes, a que se juntam Francisco Sousa, Jorge Tati, Benvindo Quimbamba, Manda João, Joseney Joaquim e António Deográcio assim como dos norte-americanos Andre Harris (extremo-base) e Jekel Foster (extremo-poste), pode se revelar decisiva para a materialização do objectivo e faz dos calulenses favoritos diante dos tricolores.

Tempo

Multimédia