Desporto

Hélder Cruz assume condição de pedinte

Anaximandro Magalhães

O presidente da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), Hélder Martins da Cruz “Maneda” lamentou o facto da Selecção Nacional sénior masculina estar remetida à condição de pedinte, facto que motivou o cancelamento, por dificuldades  financeiras, do estágio na Turquia, onde tinha agendado sete jogos de controlo, tendo em vista a disputa, este mês, na cidade do Cairo, Egipto, da terceira janela do Torneio Africano de Qualificação para o Campeonato do Mundo, China´2019.

“Maneda” (ao centro) lamenta a actual situação vivida pelos hendecacampeões africanos
Fotografia: Agostino Narciso | Edições Novembro

Em conferência de im-prensa realizada ontem na sede da Federação, o dirigente lamentou o tratamento discriminatório de que a sua direcção tem sido alvo por parte do Ministério da Juventude e Desportos.
“Aquilo que Angola já granjeou de respeito o basquetebol não podia estar na condição de pedinte. Percebemos a conjuntura actual mas é lamentável. Acho que temos de estar todos imbuídos no mesmo comprometimento, isso é o país. Infelizmente não temos tido do Ministério o respaldo esperado”, disse.
Prosseguindo, Hélder Cruz frisou: “Gostaríamos de ver algumas questões respondidas seja de que forma fosse pelo organismo de tutela. Podíamos inclusive encontrar juntos uma alternativa. Comunicamos mas somos mal sucedidos”.
 Hélder Martins da Cruz “Maneda” acrescentou: “O facto de termos chegado a usar fundos de membros da direcção para cobrir despesas da Selecção, muito recentemente. Isso não é um grupo de amigos que se reúne para trabalhar é a Selecção Nacional, envolve o país. E é triste constatar que algumas instituições não se mostram receptivas a ajudar-nos a resolver alguns problemas de ordem financeira”.
Quanto à possibilidade de o grupo embarcar para Istambul,  capital turca, onde estava  agendada a disputa de um Torneio Internacional com a selecção anfitriã, Marrocos, Jordânia, Irão e outras cujos nomes não foram revelados, o número um da FAB assegurou: “Se forem resolvidos os problemas financeiros vamos para o estágio senão continuaremos a trabalhar aqui”.
A uma pergunta sobre se os treinos em Luanda vão ser orientados pelo seleccionador William Voigt ou os seus adjuntos José Carlos Guimarães e Walter Costa, com evasivas Hélder Cruz respondeu: “Os treinadores já se encontram na Turquia para onde a equipa devia seguir ontem. Mas infelizmente não dispomos de dinheiro para fazer face às despesas. Certo mesmo é iniciarmos à preparação.”
Relativamente ao compromisso de Voigt com o projecto, o presidente da Federação garantiu: “Continua envolvido e com a mesma ambição demonstrada quan-do cá chegou”. 
Presentes no encontro estiveram Olímpio Cipriano, Benvindo Quimbamba, Pedro Bastos, Hermenegildo Mbunga, Ngombo Rogério, Gerson Domingos, Leonel Paulo, Reggie Moore, Yannick Moreira, Edson Ndoniema, Islando Manuel, Jacques Leandro Conceição, Hermenegildo Santos e Jone Pedro.
Ausentes, estiveram por não se encontrarem ainda em Luanda, Carlos Morais, Sílvio Sousa, Bruno Fernando e Júlio Afonso, todos a militarem em equipas estrangeiras. Eduardo Mingas e Gerson Gonçalves “Lukeny”, atletas do 1.º de Agosto e Petro não compareceram.
Angola  joga de 29 de Junho a 1 de Julho o torneio e lidera com seis pontos o Grupo C, ao lado de Marrocos, Egipto e Congo Democrático.

Tempo

Multimédia