Desporto

Indefinição no mercado mexe com as direcções

Anaximandro Magalhães

Com várias indefinições no que concerne a contratações e dispensa de jogadores, o mercado do basquetebol continua agitado, sobretudo para o 1º de Agosto, Petro de Luanda, Sport Libolo e Benfica e Interclube, equipas crónicas candidatas à conquista do título de campeã nacional sénior masculina de basquetebol.

Vigas da Purificação | edições novembro
Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

Menos pressionado, mas não alheio a esta realidade está o ASA, histórico da bola ao cesto doméstica, rótulo sustentado com dois títulos de campeão nacional, ga-nhos em 1996 e 1997, sob orientação de Nuno Teixeira, actual director técnico da Federação Angolana de Basquetebol (FAB).
Sem muitas opções internamente, pois os poucos atletas com qualidade reconhecida já estão comprometidos, os clubes encontram cada vez maiores dificuldades para reforçar os seus plantéis, e parecem mais voltados a investir nos escalões de formação.
O orçamento cada vez mais reduzido à disposição, devido  crise financeira que o país atravessa, assim como a dificuldade na  aquisição de divisas e transferências nos bancos comerciais limitam a ida ao mercado estrangeiro, para colmatar o preen-
chimento de diferentes posições nas equipas.
Nos militares do Rio Seco, às ordens de Paulo Macedo, a permanência do base de dupla nacionalidade, dominicana e norte-americana, Emanuel Amauris “Manny Quezada” é uma incógnita, pelo facto de o entendimento não ter sido ainda alcançado, apurou o Jornal de Angola. Fidel Cabita, ex-Interclube, é em princípio a única aquisição.
De saída do conjunto rubro e negro, campeão em título, estão Sebastião Quicuami e Agostinho Coelho. Do lado petrolífero, abandonam a equipa orientada por Lazare Adingono, André Miguel, e o nigeriano Olalekan Ajayi. Edmir Lucas e Domingos Bonifácio também estão a ser equacionados para deixar o balneário, tal como Cley Cabanga e Gerson Varanda, que podem ser emprestados.
Jason Cain, deu a conhecer ao JA o vice-presidente para o basquetebol, Artur barros, está a ser negociado, mas não é ponto assente que volte a jogar de tricolor ao peito.  Helmer Félix, ex-ASA também estava em conversações, mas o negócio terá caído por terra por causa da intransigência na extensão do vínculo.
No Sport Libolo, Milton Barros, Olímpio Cipriano e Benvindo Quimbamba são os nomes mais mencionados para abandonar a formação de Calulo. De entradas não se fala, tal como no Interclube, onde a indefinição é alargada ao treinador. Reggie Moore é um dos desejos antigos dos polícias.
Livre de compromisso com o Galitos, de Portugal, o internacional angolano está a ser muito cobiçado no contexto doméstico e não só, segundo o seu agente.

Tempo

Multimédia