Desporto

Leonel Paulo pode falhar ida aos jogos da Tunísia

Anaximandro Magalhães

O extremo Leonel Paulo, 1,96 metros pode ser, por problemas na costela, a primeira contrariedade para o seleccionador nacional sénior masculino de basquetebol, William Bryant Voigt, que no final desta semana tem a árdua missão de escolher os 12 jogadores tendo em vista a disputa, na Tunísia, de 14 a 16 do corrente, da quarta Janela do Torneio Africano de Apuramento para a 18ª edição do Campeonato do Mundo, China’2019.

Extremo poste (9), 1,96 metros, preocupa o seleccionador William Bryant Voigt
Fotografia: José Soares | Edições Novembro

Leonel, apurou o Jornal de Angola, saiu magoado no primeiro jogo de controlo frente à equipa do Barcelona, disputado naquela cidade espanhola, onde os hendecacampeões africanos deram início ao estágio de mais de 11 dias.
O atleta, um dos mais notáveis na partida, pois em 12 minutos contava já com oito pontos, foi levado para o hospital e submetido a exames médicos, tendo os resultados descartado qualquer fractura.
Ainda assim, o jogador queixa-se de dores quando fala, sorri e ao fazer movimentos, razão pela qual lhe foi recomendado repouso absoluto por pelo menos cinco dias. A esperança de Voigt reside no histórico de Leonel, ser um jogador cuja recuperação de mazelas tem sido rápida.
Ontem, o combinado an-golano mudou-se para outra região espanhola onde tem agendada uma partida frente ao Saski Baskonia. Entre amanhã ou quinta-feira, a selecção segue para Madrid, onde tem previstos mais três jogos com equipas da Liga ACB. 
Aos jogadores saídos de Luanda, Edson Ndoniema, Mohamed Cissé, Mutau Fonseca, Leonel Paulo, José António, Gerson Domingos, Egídio Ventura, Pedro Bastos, Hermenegildo Mbunga e Reggie Moore, já se juntaram Leandro Conceição (Sport Lisboa e Benfica, de Portugal) e Júlio Clever Afonso (Club Baloncesto Tizona Burgos, de Espanha).
Nos próximos dias, se-gundo o vice-presidente para as selecções nacionais, Benjamin Romano, devem juntar-se ao grupo: Yannick Mo-
reira (Paok da Grécia); Carlos Morais (Siena Basket da Itália); Valdelício Joaquim (Union Jeanne d’Arc Phalange Quimper), bem como Jone Pedro, do 1º de Agosto.
Bruno Fernando (Universidade Marylan) e Sílvio Sousa (Universidade de Kansas) ainda são hipóteses.
Angola está no Grupo E, ao lado da Tunísia, Tchad e Camarões, com quem joga na estreia, numa série onde estão também Egipto e Marrocos.
Para o Mundial, classificam-se directamente as duas primeiras classificadas dos dois grupos, constituídos por seis selecções cada um. O terceiro melhor classificado dos dois grupos também qualifica-se. No Grupo F, estão perfiladas Nigéria, Rwanda, Mali, Senegal, República Centro Africana (RCA) e Costa do Marfim.
A quinta janela, em país a indicar, é jogada de 30 de Novembro a 2 de Dezembro, somente entre as selecções do Grupo E, ao passo que as do F o farão de 22 a 24 de Fe-vereiro de 2019. Pela primeira vez, em mais de 60 anos de história da competição, marcarão presença na pro-va 32 selecções, contra as actuais 24.
Nas sessões de treinos, Voigt, coadjuvado por Walter Costa, Sérgio Cristóvão e Emanuel Mavongo, tem trabalhado nos sistemas tácticos e insistido no potenciamento dos índices físicos.

Tempo

Multimédia