Desporto

Libolo e Interclube disputam Supertaça

Anaximandro Magalhães |

Libolo, em busca do quarto troféu, e Interclube, à procura da consagração inédita, disputam hoje às 18h00, no Pavilhão Multiusos Arena do Kilamba, o título da 25ª edição da Supertaça Wlademiro Romero em basquetebol sénior masculino.

Calulenses e polícias desfazem hoje o equilíbrio nos resultados dos jogos neste início de época
Fotografia: M. Machangongo | Edições Novembro

Contrariamente a anos anteriores, a prova, que marca a abertura da época, com o início a posterior ao Campeonato Nacional, é jogada apenas hoje entre o campeão nacional e  vencedor da Taça de Angola, Libolo, e o finalista vencido, Interclube.
No espaço de um mês, este, com a particularidade de ser uma disputa inédita, referente à Supertaça, será o quinto encontro  entre libolenses, às ordens do angolano Raúl Duarte, e polícias liderados pelo português Alberto Babo.
Em quatro jogos, as duas equipas somam igual número de triunfos e de derrotas. Nos torneios Victorino Cunha e da Fesa, a formação dos bombeiros ganhou por 79-76 e 82-72, ao passo que os calulenses suplantaram-nos no Zonal seis, por 66-59 e 101-91, na primeira jornada do Campeonato Nacional, Unitel - Basket.
 Tratando-se de um jogo único, as probabilidades de vitória são equitativas, para além de que Raúl e Babo sabem de antemão a necessidade de os seus pupilos terem de cometer o menor número de erros possível. Para vergarem os adversários, Egídio Ventura, José Salvador, Fidel Cabita, Paulo Santana, Alexandre Jungo, só para citar estes, têm de fazer diferente em relação ao desafio da ronda inaugural do campeonato, onde permitiram inúmeras veleidades ao seu cesto. Defender com agressividade, não extravasando os limites permitidos pelas regras de arbitragem, é uma das condições.
A Olímpio Cipriano, Milton Barros, Roberto Fortes, Francisco Sousa, Benvindo Quimbamba, Manda João, Joseney Joaquim, António Deográcio, Andre Harris e Jekel Foster exige-se a mesma postura ofensiva e defensiva, de modo a materializar o objectivo. O 1º de Agosto lidera o palmarés com 12 taças, seguido pelo Petro de Luanda, com seis, ao passo que ASA e Libolo, ambos com três, fecham a lista.

Tempo

Multimédia