Desporto

Petro de Luanda “rouba” segunda posição ao Libolo

Armindo Pereira

O Petro de Luanda assumiu o segundo lugar na tabela classificativa da 40ª edição do Campeonato Nacional sénior masculino de basquetebol, Unitel-Basket, agora com 45 pontos, fruto da vitória por 76-87, sobre o Sport Libolo e Benfica, na partida de destaque da sexta ronda da terceira volta da fase regular.

Petrolíferos travam equipa de Calulo no destaque da sexta jornada da terceira volta
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

No confronto directo, os petrolíferos impuseram o segundo desaire à turma de Calulo, em três jogos disputados na presente época. Com esta vitória, os tricolores redimiram-se da derrota sofrida frente ao 1º de Agosto, líder da competição, um dia antes e passou no teste frente a outro dos candidatos ao título do Unitel-Basket.
Na partida, disputada no Pavilhão Multiusos do Kilamba, os tricolores  foram sempre dominadores, saindo ao intervalo com a vantagem de 38-36. Nos dois períodos seguintes, a equipa que foi orientada por Benjamim Avô (técnico adjunto), manteve a  mesma postura ofensiva e garantiu a vitória (87-76), com uma vantagem na casa dos dois dígitos.
O extremo tricolor Gerson Gonçalves “Lukeny” foi o jogador mais valioso, com 19 pontos, seguido do seu colega José António, com 13. Por banda do Sport Libolo e Benfica, Olímpio Cipriano voltou a fazer a diferença, com 11 pontos anotados, registo abaixo das suas marcas habituais.
No final da partida, Benjamim Avô felicitou os seus atletas pelo facto de terem feito “um grande esforço”, depois da partida contra o 1º de Agosto. Para ele, a concentração no último quarto foi determinante para a vitória, que garantiu a troca de posição com a equipa da vila de Calulo.
“Nesta dupla ronda obtivemos uma derrota e uma vitória em desafios com dois candidatos ao título. Tendo em vista os objectivos que traçamos para a época, isso nos leva a fazer um balanço positivo”, destacou.
Por seu turno, Raul Duarte, treinador do Libolo, felicitou a equipa adversária pela vitória, sobretudo pela postura adoptada na etapa derradeira, mas considera que no trio de arbitragem houve “um elemento que manchou” a actuação dos homens do apito.
“Volto a bater na mesma tecla. Houve um árbitro que não acompanhou bem o jogo, apitou muitas coisas contra nós e ajuizou mal as faltas anti - desportivas. Temos o nosso problema, é verdade, mas fica a impressão que querem agudizar mais esta situação. Não pretendemos ser enterrados. Vamos até ao final, com muita dignidade”, desabafou.
 Nos outros jogos da jornada de sábado, o Interclube levou a melhor sobre o ASA (71-54), no Pavilhão 28 de Fevereiro, e deste modo consolidou a quarta posição da tabela classificativa, com  40 pontos. Na Cidadela, a Marinha recebeu e venceu o Helmarc (88-80), ao passo que o Vila Clotilde despachou a Universidade Lusíada (87-72), no Kilamba.
Na última sexta-feira, no clássico entre militares e petrolíferos, disputado no pavilhão da Cidadela, os pupilos de Lazare Adingono não foram capazes de impor a segunda derrota aos militares e perderam, por 88-86. A vitória dos rubros e negros só foi alcançada a dois segundos do final, por intermédio de Emmanuel Quezada.
A sétima jornada da terceira volta acontecer esta sexta-feira, e começa com o jogo Vila Clotilde-Interclube, ás 15h00, no Kilamba. O Petro de Luanda desloca-se ao mesmo recinto para jogar com a Universidade Lusíada, às 18h00. Uma hora mais tarde acontece o encontro entre equipas militares (1º de Agosto-Marinha), no Gimnodesportivo da Cidadela. Às 20h30, o Helmarc enfrenta o ASA, também no Kilamba.
Com 49 pontos, o 1º de Agosto lidera o Unitel-Basket, seguido pelo Petro e Libolo, na segunda e terceira posições, respectivamente, com os mesmos pontos (45), e o Crizgunza de Benguela, com apenas 28, ocupa a décima e última posição sem qualquer vitória.

Tempo

Multimédia