Desporto

Treinador sérvio chama Nikola Jovic e Bogdanovic

António Ferreira

A Sérvia, primeiro adversário da Selecção Nacional de Angola no 18º Mundial´FIBA, dia 31 de Agosto, na cidade de Foshan, inerente ao grupo preliminar “D”, chamará toda a “legião de estrangeiros” que actua na Liga Profissional Norte-Americana (NBA) e arredores.

Base Milos Teodosic (4), dos LA Clippers é uma das principais referências da sua selecção
Fotografia: DR

Da lista, destaque para Bodjan Bogdanovic (26 anos, 2,06 mts, 106 Kg), Nemanja Bjelica (30 anos, 1,98 mts, 93 Kg) e Boban Marjanovic (30 anos, 2,22 mts, 131 Kg), principais referências do país, que tem como credenciais uma média de 82,8 pontos por partida, 28 anos de idade e 2,03 metros de altura.
Quarta no ranking mundial com 645 pontos (terceira na Europa), nas seis janelas de qualificação, a Sérvia dispensou quatro dos cinco jogadores que actualmente jogam na NBA, mormente Nemanja Bjelica (6,500,000 dólares/época), Bodjan Bogdanovic (9,000,000), ambos ao serviço do Sacramento Kings, Nikola Jokic (Denver Nuggets) e Boban Marjanovic (Philadeldia 76 ers). Milos Teodosic (LA Clippers), 31 anos, 1,95 mts, nos doze prélios disputados jogou 61 minutos e marcou 27 pontos.
Mas nem tudo na Sérvia são favas contadas. Os nomes, os números e muito menos o passado não ganham jogos. Aliás, a selecção nacional sérvia está uns furos abaixo do seu período áureo, como, de resto, reconheceu Dusan Ivkovic, um dos melhores treinadores da Europa, em declarações ao site na FIBA, na análise a prestação do país nas eliminatórias para o Mundial da China.
O lendário Ivkovic, que levou a ex-Jugoslávia ao título no Mundial da Argentina em 1990, e treinou a Sérvia no EuroBasket 2013, lançou o alerta e asseverou que “as janelas serviram como um tiro no braço do basquetebol sérvio. As pessoas têm que entender que somos um país pequeno e temos que trabalhar muito bem. Produzimos grandes jogadores, tivemos uma das ligas nacionais mais fortes da Europa. Hoje, a nossa liga está em um nível extremamente baixo”.
Apesar dos números no ranking valerem o que valem, face aos critérios de atribuição dos pontos, para aos quais contam a classificação e o número de vitórias nas principais competições da FIBA, a Sérvia com quem perde-mos o primeiro prélio num Mundial, 44-94, a 28 de Agosto de 2010, recomenda prudência e expectativas moderadas no que tange a um resultado por números que soem a razoabilidade.
Para tal, Angola precisa de estar ao seu melhor nível, quer no que diz respeito a criação das condições administrativa, preparação do caderno de encargos, viagens e programação desportiva, premissas para um ambiente saudável, visando uma prestação adequada aos seus pergaminhos e emparelhando a tudo isso, a definição da equipa técnica e a convocação dos melhores jogadores do país, apesar da instabilidade que grassa no elenco federativo às ordens do anunciado presidente demissionário Maneda.

Trinta jogadores disputaram as seis janelas

Nas seis janelas de qualificação para o Mundial FIBA2019, a Sérvia utilizou 30 jogadores, com destaque para nove que actuam no estrangeiro e apenas dois intra-muros, nomedamente Djordje Gagic e Ilija Djokovic, que militam no Partizan KK e Borac Cacak.
A Sérvia disputou todos os jogos em casa contra a Áustria, a Geórgia, a Alemanha, a Estónia, a Grécia e Israel, um bom indicador para a popularização e massificação da modalidade. Cinco jogos foram disputados em Belgrado e um em Novi Sad, tendo confirmado a qualificação para China no último prélio, diante de Israel, com vitória de 97-76. Eis, os trinta jogadores utilizados nas seis janelas de qualificação:
Simonovic, Raduljica, Jelovac, Milosavlievic, Djokovic, Gagic, Bircevic, Tepic, Todorovic, Micic, Milutinov, Paunic, Avramovic, Jovic, Lucic, Dobric, Teodosic, Bjelica, Macvan, Marjanovic, Bogbanovic, Nedovic, Lazic, Kalinic, Lesic, Jaramaz, Marinkovic, Radanov e Jovanovic.
Deste lote o destaque vai para os profissionais Milos Teodosic (Clippers), Marko Simonovic (Zenit St. Petersburg, Rússia), Stevan Jelovac (Gaziantep, Turquia), Milenko Tepic (Paok, Grécia), Dragan Milosavljevic (Unicaja Baloncesto, Espanha), Miroslav Raduljica (Jiangsu Dragons, China), Stefan Bircevic (Telekom Basket, Alemanha), Vladimir Lucic (FC Bayern München, Alemanha), Nikola Milutinov (Olympiacos, Grécia) e Aleksa Avramovic (Pallacanestro Varese, Itália).


Tempo

Multimédia