Desporto

Benvindo Inácio orienta treino táctico correccional

António Cristóvão

O treinador da Selecção Nacional sénior masculina de futsal, Benvindo Inácio, orienta hoje, às 17h00, um treino correccional dos aspectos técnicos e tácticos, no Pavilhão Anexo I da Cidadela, em Luanda, no âmbito da preparação para a disputa do Campeonato Africano das Nações (CAN), de 28 do corrente a 7 de Fevereiro, nas cidades de Casablanca e Laâyoune, Marrocos.

Fotografia: Dr

Nesta preparação, a equipa técnica pretende melhorar a qualidade dos processos de jogo, e dar os retoques finais ao conjunto, com realce para a finalização das jogadas combinadas na transição defesa/ataque. 

Para Marrocos, a Selecção Nacional viaja no próximo dia 24, com 14 atletas, oficiais e o chefe da delegação.
Na estreia do Grupo B, Angola joga com Moçambique, às 21h00, na Arena Hizam Hall, em Laâyoune. Antes, Egipto e Guiné Conacri jogam, às 17h30, no mesmo recinto.
Para a segunda jornada, o “Cinco” nacional enfrenta o Egipto, no dia 31 deste mês, às 17h30, na Arena Hizam Hall.
A Selecção Nacional encerra a primeira fase frente à similar da Guiné Conacri, dia 2 de Fevereiro, às 17h30, na Arena Massira Hall, em jogo da terceira jornada da fase preliminar.

Falta dinheiro

A Federação Angolana de Futebol de Salão (Fafusa) aguarda, do Ministério da Juventude e Desportos, a cedência de 48 milhões de kwanzas, para suportar as despesas de deslocação, estadia, alimentação e logística da Selecção Nacional no CAN.
“Este é um valor mais ou menos, para conseguirmos realizar aquilo que está programado pela equipa técnica”, disse ao Jornal de Angola o presidente da Fafusa, Noé Alexandre.
O dirigente afastou a hipótese de realização de um estágio no exterior do país, devido às dificuldades financeiras da instituição. “Seria utópico nesta fase programar um estágio no exterior, porque já temos dificuldades financeiras para realizar no interior do país. E lá fora?”, respondeu, questionado sobre a possibilidade de uma preparação fora do país. Acrescentou que a entidade vai gastar pelo menos 15 milhões de kwanzas na compra dos bilhetes de passagem dos 22 elementos da delegação, incluindo outras despesas internas da Selecção Nacional.

Tempo

Multimédia